sábado, 5 de setembro de 2015

MODERNISTA


O Conjunto JK é a segunda maior obra de Oscar Niemeyer em Belo Horizonte, perdendo apenas para a Cidade Administrativa. O complexo possui dois edifícios (um contando com 23 andares, à esquerda, e o outro contando com 36, à direita); duas galerias comerciais; um pequeno terminal de ônibus rodoviários; uma casa de shows especializada em indie-rock underground; uma igreja; uma delegacia; bancos e galerias de arte. O projeto se deu em 1952 e começou a ser construído no ano seguinte, mas apenas em 1965 o complexo ficou pronto. O próprio Niemeyer não gostou muito do resultado final, pois alguns elementos da planta original foram descartados por falta de verbas, como passarelas entre os prédios e uma rampa. Com mais de 120 metros de altura, a torre maior do conjunto é uma dos mais altos arranha-céus brasileiros, além de abrigar quase seis mil moradores, número maior que a população de grande parte das cidades do país. O conjunto possui moradores de perfil bem diversificado, como médicos, advogados, empresários e - principalmente - arquitetos. A grande maioria dos moradores são estudantes de arquitetura ou já trabalham profissionalmente na área. Sem dúvida, um dos principais marcos arquitetônicos de Belo Horizonte.

- Charles Tôrres

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog