domingo, 30 de março de 2014

HAS BEEN BEAUTIFUL



E tarde se ausenta da face urbana de Belo Horizonte, levando consigo o tão estimado domingo; cedendo espaço à donzela noite, a qual envolve a face urbana com sua deliciosa brisa úmida e refrescante. Foi-se embora o sossego de um domingo relaxante, deixando conosco todo o gás e a esperança por uma semana que recomeça. Sou apaixonado pelas segundas-feiras! É o dia que representa um novo fôlego para tocarmos adiante nossas apostas pessoais. Se a segunda-feira para você é um fardo, é porque não soube escolher bem seus propósitos de vida. Não podemos tocar nossa rotina em prol dos fins de semana e das poucas horas "livres" que temos antes de dormir. Se pararmos para pensar, restam-nos poucos anos de vida ao ansiarmos e vivermos intensamente apenas os momentos de folga. O ofício há de ser prazeroso a ponto de não o enxergarmos como ofício. O trabalho pode se tornar tão aprazível quanto o lazer; e quando isso acontece, sua vida passa a fazer mais sentido. Lembrando que nunca é tarde para recomeçar e empreender por novos desafios, mirar em novos alvos: redescobrirmos! Que venha a segunda-feira recheada de expectativas por novos projetos e pela continuidade dos que já estão em pauta.

Uma semana de sucesso a todos vocês!

quinta-feira, 27 de março de 2014

O ACASO TOPOGRÁFICO


A topografia acidentada de Belo Horizonte, para muitos, é um dificultador; uma característica contemptível. Mas pra mim, tal fato é uma das maiores graças da cidade, pois não temos uma metrópole que é grande apenas na horizontal, como também na vertical. Como se já não bastasse a infinidade de edifícios de alta estatura, temos uma variação de altura do relevo na área urbana que vai de 650 metros até os 1350 metros acima do nível do mar, circunstância que faz das ruas de BH constantes mirantes. É interessante também notar a variação climática na metrópole, efetuada graças à referida instabilidade nas depressões do solo; fazendo com que, num mesmo dia, possamos sentir temperaturas singulares em várias regiões da urbe: saindo do Centro, por exemplo, num calor de 25º, chegando à Avenida Raja Gabáglia (onde fiz a fotografia acima), nos 19º. É a diversidade da capital mineira se exibindo em todas as suas atmosferas.

Tenham uma excelente noite!

quarta-feira, 26 de março de 2014

BLUE NIGHT




Apenas... sintam a madrugada! O ar fresco, o anil atmosférico, o descanso, o brilho das estrelas, o luar. Uma noite linda como essa e todas as outras só me faz acreditar no que sempre creio: boas coisas nos esperam amanhã!

Tenham uma excelente noite!

terça-feira, 25 de março de 2014

PROCESSOS


Em todos os momentos de nossas vidas nos deparamos com situações em que temos que dar tudo de nós para alcançarmos um objetivo. O nome disso é: processo. Tenho notado uma falta de persistência generalizada nos cidadãos, que se encontram cansados e abatidos, fartos de suas rotinas diárias e sem perspectivas para começar algo novo. E quando começam, não gozam de obstinação necessária para insistir naquele processo. Esquecem de que qualquer constância na vida precisa de energia para continuar evoluindo. É como uma avenida... para chegarmos ao nosso destino, não podemos desviar da rota. Pode parecer básico isso, mas não é, pois a maior dificuldade do ser humano é a compreensão do valor da persistência. Abatem-se com certa facilidade frente às barreiras interpostas aos acontecimentos da vida, fazendo com que um determinado processo seja interrompido no ápice da sua constância. Vários são os tipos de processo e cada um tem um nível de dificuldade, seja inicial ou final, mas em todos eles, sem exceção, adquiri-se sucesso ao término da jornada. Se ainda não obteve, é porque a caminhada ainda não chegou ao fim.

Forte abraço!

segunda-feira, 24 de março de 2014

MAP


Anteontem as chuvas tomaram a paisagem da linda Pampulha, criando uma atmosfera fotográfica sobre o MAP pra lá de interessante. Desenhado por Oscar Niemeyer, o Museu de Arte da Pampulha integra-se ao Conjunto Arquitetônico da Pampulha e possui acervo com importantes obras da arte contemporânea brasileira, enfocando tendências artísticas variadas em mostras, pesquisa e conceituação. É um dos pontos turísticos mais famosos da Pampulha. Mas nem sempre ele foi museu. Na verdade, seu projeto atual visava a criação de um enorme Cassino, para ser referência em todo o país. E não deu noutra! Logo após ser inaugurado, ainda na década de 1940, o local passou a atrair jogadores de todo o Brasil, transformando a vida noturna do lado norte de Belo Horizonte, movimentando uma região que  ainda não era tão povoada. Os tempos de glória do Cassino da Pampulha duraram pouco e em 30 de abril de 1946, durante o governo do General Gaspar Dutra, o jogo foi proibido em todo o Brasil. Passou a funcionar como museu em 1957, quando era conhecido como "Palácio de Cristal". O MAP possui ainda jardins desenhados por Burle Marx, os quais são decorados por três esculturas, uma de cada artista: Ceschiatti, Zamoyski e José Pedrosa. Desde a reforma de 1996, suas instalações possuem biblioteca, loja de souvenirs, café e salas de multimídia. O MAP possui um acervo de 1.600 obras , dentre elas, mostras da Arte Contemporânea brasileira, que enfocam variadas tendências artísticas. 

Tenham uma excelente noite!

domingo, 23 de março de 2014

INTENSIDADE URBANA


Grande, forte, viva, rica, inteligente, democrática, intensa, cultural, moderna, séria, divertida, conurbada, emancipada, bela, feia, extrovertida, densa, profissional. Marcada por multiculturalidades, multinacionalidades, crenças, raças e ideias, a grande metrópole mineira é verdadeiramente cosmopolita por vocação e conservadora por tradição. Estar em Belo Horizonte é experimentar uma cidade 24 horas, com estilo de vida que integra trabalho e lazer como se fossem uma situação naturalmente conjugada. BH sempre nos mostra a real predisposição de uma mega cidade, independente do quanto estima o cidadão. Estas e outras tantas pujanças estão presentes nas ruas, no paladar apurado de suas propostas gastronômicas e nos trajes e trejeitos de uma galera que não pára, todos os dias desenhando nas artérias da cidade suas respectivas histórias. Que venha uma segunda-feira enérgica, recheada de boas perspectivas!

Um grande abraço para vocês e tenham uma excelente semana!

sábado, 22 de março de 2014

RENAISSANCE WORK CENTER - SAVASSI


Como eu costumo dizer, Belo Horizonte acomoda um misto de estilos arquitetônicos que se fundem por entre suas quadras de forma incomparável, com representantes de cada época interpondo-se naturalmente ao longo das ruas e avenidas de forma elegantemente harmônica. Inaugurado em março de 2012, o Renaissance Work Center poderia ser apenas mais um prédio comercial envidraçado da Região Central de BH. Mas ele é diferente... seus 30 andares se destacam na paisagem da Praça Tiradentes, na baladeira e cosmopolita Savassi, por conta de seus neons azuis intensamente enérgicos. As iluminação produzida pelo edifício no período noturno penetra outros prédios por várias quadras a diante. E antes que os ambientalistas o critiquem, o Renaissance Work Center é um dos prédios mais inteligentes, automatizados e auto-sustentáveis do Brasil, possuindo certificação máxima em eficiência energética; com selo emitido pelo Procel - Eletrobrás. Tal tecnologia pode ser conferida em várias esferas do empreendimento: da forma como o prédio aproveita ao máximo os materiais utilizados (todos os vidros da fachada do prédio possuem eficiência energética), ao modo como eles utilizam a água, como por exemplo, nos jardins do edifício (projetados pelo Escritório Bourle-Marx), cuja irrigação provém de águas pluviais reutilizadas. Tanta modernidade coloca BH no páreo entre as icônicas construções atuais das metrópoles do planeta, já que as inovações do Renaissance tem superado o avanço tecnológico registrado até mesmo nos principais empreendimentos das maiores cidades do mundo. Também pudera, seu pedigree conta com projeto de um dos maiores arquitetos brasileiros de todos os tempos, o belo-horizontino Gustavo Penna; além da elaboração e execução realizada pela Construtora Caparaó. Assim é Belo Horizonte, que tem imensurável respeito ao seu passado e vasto apreço pelo futuro.

Tenham uma excelente noite!

quarta-feira, 19 de março de 2014

CLÁSSICA, E COM ORGULHO!


Ontem tive a infelicidade de ler um comentário de um seguidor do BH - UMA FOTO POR DIA dizendo que em Belo Horizonte nós bajulamos muito os edifícios antigos; que se BH não começasse a construir edifícios "luxuosos", a cidade nunca iria pra frente. É mole? As grandes metrópoles do planeta, como Paris, Nova Iorque, Chicago ou Londres jamais repudiaram suas construções históricas. Muito pelo contrário, elas estão inseridas no cenário urbano com maior apreço que as novas edificações. E em BH não é diferente! Não podemos simplesmente ignorar nosso passado arquitetônico. Ele tem muito a nos contar! Estulto tal pensamento. Grandiosas são as cidades que estimam o futuro sabendo preservar sua história. Com isso, as grandes metrópoles brasileiras, como Porto Alegre, Rio, Sampa, Curitiba, Recife, tem feito a lição de casa. Além disso, o que não falta em BH são edificações atualíssimas. Basta uma volta no alto da Afonso Pena, ou na Savassi, no Vila da Serra, no Lourdes ou Funcionários para ver com os próprios olhos centenas de edificações "luxuosas". Santo Agostinho, São Bento, Raja, Belvedere, Gutierrez, Luxemburgo, Sion, Anchieta, Cruzeiro, Serra, Buritis, Santo Antônio... enfim, o que não falta em BH é arquitetura contemporânea de qualidade. A cidade é referência nisso, especialmente no que tange às edificações residenciais. Belo Horizonte possui uma mescla de estilos arquitetônicos que definem o caráter pluralista e cosmopolita da metrópole. A urbe se destaca no cenário internacional com seu acervo arquitetônico que remete os principais estilos dos séculos XIX e XX. Com o conjunto arquitetônico da Pampulha, a cidade é berço da brilhante carreira do maior arquiteto brasileiro de todos os tempos, Oscar Niemeyer - o qual costuma dizer que a Pampulha é a mãe de Brasília. Ao andarmos pela cidade, especialmente pela sua Região Central, percebemos nitidamente os estilos se fundindo por entre quadras e quarteirões com uma perfeita plasticidade e volubilidade: Modernista, contemporânea, barroca, manuelina, brutalista, neoclássica, eclética, art-déco, industrial, gótica, neocontemporânea, clássica.... Tal fato talvez queira nos transmitir o espírito flexível e mutável do cidadão mineiro; a forma como ele se renova conforme o tempo dita as regras. A terceira maior cidade do país se mostra por si só um curso de arquitetura ao ar livre. Aí me vem um sujeito dizer que BH só vai crescer o dia que tiver construções modernas e luxuosas. Valha-me paciência...

Uma boa noite pra vocês!

segunda-feira, 17 de março de 2014

PRA CASA NUM VÔ


Seguindo a corrente levando em frente descendo a ponte que mora o carente que bebe aguardente rente ao requinte da forma inerente da vida incessante de um pobre gerente. Este é o abrigo que mora o perigo não pago nem ligo pro joio ou pro trigo eu quero um amigo que não ligue pro umbigo do antigo fulano que não anda comigo que come figo no próprio jazigo. Moro em Beagá que só anda devagá se o carro estragá ou o se bebum embriagá com o próprio paladá ou pará pra cagá. Moro no Centro sem anfiteatro a um centímetro do bueiro nojento que cheira gasômetro. Minha vida é esta subir Bahia descer Floresta com sol na testa olhei pela fresta me chamaram de besta do boom econômico e o planalto faz festa. Peguei o metrô pra casa num vô feliz num estô sou dono da rua nem lar me sobrô.

Boa noite, dotô!  

domingo, 16 de março de 2014

A NOITE NA CIDADE INDUSTRIAL


Eis um frame analógico. Um take fabril, da gélida Cidade Industrial. Um frame do rolo de filme, da forma vetusta de fotografar. Minha câmera tem filme ASA 400 e tem sede de sensibilizar a atmosfera do lugar. Cidade hexágona, contagense, que funde e solda em ritmo ininterruptível. A noite na Cidade Industrial é fria e tem odor químico, ora de plástico, ora de borracha queimada. O silêncio noturno se dá na forma de ruídos constantes, de maquinários incessantes. A Cidade Industrial é uma ilha urbana, conectada à metrópole por trilhos e vias expressas, desprovida de entretenimentos. O regime de ordem é o trabalho. A máquina. A solda. O forno. O trem carregado com rolos de cabo de aço. O metrô. 

Boa noite!

quinta-feira, 13 de março de 2014

BH...


Belo Horizonte e seus infinitos horizontes, infindável imensidão; traços que vão além de onde a vista alcança; dos incontáveis quilômetros, das sinceras ternuras. Cidade dos traços indomados, da pujança imensurável; capital da cultura, da moda, das artes... da gastronomia! Se Minas é a cozinha do Brasil, BH é seu fogão. Grande metrópole dos mineiros. Se Minas não há mais, BH nunca é demais.

Boa noite!

quarta-feira, 12 de março de 2014

TREM DE PASSAGEIROS: VITÓRIA - BELO HORIZONTE


Belo Horizonte e Vitória são duas metrópoles privilegiadas dentre as cidades brasileiras: são as únicas capitais do país que possuem uma linha interestadual de trem de passageiros com saída diária, de domingo a domingo. A linha foi inaugurada em 1903 e transporta hoje cerca de um milhão de passageiros por ano. O trem sai de BH todos os dias às 7 horas da manhã rumo à Cariacica, na Região Metropolitana de Vitória, via Estada de Ferro Vitória Minas (EFVM). No mesmo horário, outro trem sai da Grande Vitória rumo à Belo Horizonte. O comboio passa também pela Região Metropolitana do Vale do Aço, além de outras pequenas e médias cidades mineiras e capixabas, num total de 50 localidades. É uma viagem longa e um tanto cansativa, podendo levar até 14h no trajeto entre as duas metrópoles; além de sairmos sujos por conta dos trens carregados de minério que passam o tempo todo ao lado do trem de passageiros e das minas e usinas siderúrgicas que ladeiam a ferrovia. No trem, há vagão que funciona como lanchonete, outro como restaurante e café; há vagão exclusivo para portadores de necessidades especiais; ar-condicionado nos carros executivos; e o vagão da leitura, com mesas, livros e revistas disponíveis para leitura, contando com tomadas para ligar notebooks e afins. Quem viaja por essa linha tem o prazer de apreciar as mais belas vistas de ambos estados e avistar ao lado da estrada de ferro as enormes usinas mineradoras, especialmente a Usiminas, no Vale do Aço; e também as minas de extração da Vale, que além de ser uma das maiores mineradoras do planeta, é a empresa que administra a ferrovia.

Tenham uma ótima noite!

terça-feira, 11 de março de 2014

BH - LUGAR MELHOR NÃO HÁ


Fala pessoal! Estive em viagem nos últimos dez dias, motivo pelo qual me ausentei aqui no BH - Uma Foto Por Dia durante esse tempo. Apenas postava as fotos com os textos, sem poder ler os comentários. Sempre quando sobrava um tempinho, comentava um ou outro post pelo celular mesmo, mas não foram todos que eu pude ler. E, de quebra, a viagem durou mais do que o esperado, fazendo com que o estoque de fotografias durante minha ausência em BH se esgotassem. Por isso, desde sábado eu não posto fotografias inéditas aqui no projeto. Hoje retomo, feliz da vida, as postagens diárias da nossa belíssima metrópole! E digo mais... BH é um paraíso! Ô saudade danada que eu estava dessas terras. Não que minha viagem tenha sido ruim, muito pelo contrário, foram dez dias maravilhosos que passei ao lado de minha esposa. Foi tudo maravilhoso, precisávamos descansar, ver o mar e namorar! Mas como costuma dizer Lucas Chiconi, um grande amigo e brother de coração: o melhor da viagem é a volta pra casa! Viajar é tudo de bom, conhecer novos lugares; descansar! Mas nada melhor do que voltar pra sua terra, renovado. Não gosto de sertanejo e muito menos de César Menotti & Fabiano, mas na atual situação, preciso parafraseá-los: É aqui que eu amo... é aqui que eu quero ficar; pois não há lugar melhor que BH!

Tenham uma excelente noite e até amanhã!

sexta-feira, 7 de março de 2014

SUL X LESTE


Duas regiões em uma única fotografia: a tradicional Zona Leste e a moderna Zona Sul. Duas regiões ligadas intimamente, pois além de próximas, foram as primeiras da cidade a se desenvolverem. Além disso, alguns de seus bairros, como Floresta, Santa Efigênia, Sagrada Família, São Lucas e Aglomerado da Serra misturam-se de forma não conseguirmos identificar qual a região a qual se acomodam.

Tenham uma ótima noite!

quinta-feira, 6 de março de 2014

VIA 710: VESPÚCIO X VASCONCELOS


As avenidas Américo Vespúcio e Bernardo Vasconcelos constituem uma única via, a qual é o mais importante corredor de ligação entre as regionais Nordeste e Noroeste; e está sendo chamada de Via 710 pela Prefeitura de BH. Ela conta com aproximadamente 6km de extensão e liga as 3 maiores avenidas de sentido centro-bairro do Vetor Norte da metrópole: a Linha Verde, a Antônio Carlos e a Catalão. A cerca de 1km dali, o Anel Rodoviário passa paralelamente à Via 710, porém vive congestionado nesse trecho, sendo a 710 a principal alternativa de confluência entre essas regionais. A Via 710 é um projeto da prefeitura que conta a ligação entre as vias Bernardo Vasconcelos, Américo Vespúcio, Gustavo da Silveira, Amaro Xisto e Barão Homem de Melo, criando uma única enorme avenida que contará com cerca de 28km de extensão, ligando importantes regiões da cidade.

Boa noite!

quarta-feira, 5 de março de 2014

BELVEDERE


O Belvedere é incomparável. Alguns torcem o nariz pra ele, outros o idolatram; mas é fato que nada no Brasil, em cidade alguma, se iguala ao olimpo belo-horizontino, além de ser impossível passar próximo a ele sem notá-lo. Não chega a ser o bairro mais caro da cidade (posto o qual é, talvez, ocupado pelo Lourdes), mas é um dos mais valorizados bairros de Belo Horizonte e figura entre os mais caros do Brasil. Sua posição geotopográfica é um dos seus destaques, favorecendo aos seus moradores uma visão maravilhosa sobre a metrópole, pois ele se acomoda a uma altitude de aproximadamente 1200 metros acima do nível do mar (sendo a média de BH aproximadamente 800 metros). O Belvedere foi uma região planejada, projetada pelo urbanista Ney Werneck; e cresceu ao redor do primeiro shopping da cidade, o BH Shopping, o qual foi inaugurado em 1979. Sinônimo de luxo e magnificência, a região conta com apartamentos que podem ultrapassar os 30 mil reais o metro quadrado, além de comércio forte e diversificado, com restaurantes, bares, shoppings, edifícios empresariais e centenas de lojas de rua. É um bairro linear; e possui aproximadamente 4km de extensão de ponta a ponta, sendo que metade dele é formado unicamente por mansões igualmente imponentes. Fica a aproximadamente dez quilômetros do Centro.

Tenham uma ótima noite!

terça-feira, 4 de março de 2014

ABBEY ANDRADAS


Grandes são os homens que gostam de desafio. Que desafiam e não se intimidam com torpes adversários.

Grandes são os homens que acreditam. Que possuem fé na tábua que lhe servirá de base à travessia perigosa.

Grandes são os homens amigos. Os homens benevolentes, que enaltecem a fraternidade e valorizam suas alianças.

Grande são os homens que sonham grande. Que debulham suas veredas com a convicção de um felino à caça de sua presa.

Grandes são os homens que sabem lidar com si próprios. Que ousam, desmembrando-se de seus limites, de seus cárceres internos.

Grandes são os homens que personificam o amor. Que se tornam ainda mais grandes na companhia de quem lhes concedeu seus sentimentos.

Grandes homens... produzidos através dos mais simples ingredientes.

--

Charles Tôrres

segunda-feira, 3 de março de 2014

SION


O nobre e tradicional Sion, localizado na Zona Sul de Belo Horizonte, revela-se como um dos mais densos bairros da cidade. Ele é dotado de ótima infraestrutura comercial, além de prestigiadas escolas, parques e praças. Situando-se ao lado da badalada Savassi, o Sion recebeu parte do perfil agitado da vizinha, se transformando em um novo point gastronômico da metrópole, especialmente por conta dos excelentes restaurantes e bares da rua Pium-Í, no coração do bairro. Seu nome se deve ao Colégio Santa Dorotéia (o qual foi uma das primeiras construções da região), que em outrora, se chamava Colégio Sion, sendo um núcleo educacional voltado apenas às garotas. A título de curiosidade, a grande maioria das praças e ruas do bairro recebem nomes de países e cidades latino-americanos, como Montevidéu, Uruguai, Assunção, Venezuela, Valparaíso, etc.

Tenham uma semana!

sábado, 1 de março de 2014

RAINBOW


A boa e velha vista da varanda do meu apartamento; desta vez brindada com um leve arco-íris formado pela interceptação da luz do sol pela chuva de ontem, no final da tarde. Somou-se a isso uma camada espessa de nuvens iluminadas pelo cair do sol crepuscular, fenômeno que nós fotógrafos chamamos de "hora mágica"; por conta da iluminação tangencial e da tonalidade abrasadora.

Boa noite a todos!

Arquivo do blog