sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

BELVEDERE


O Belvedere é um dos mais valorizados bairros de Belo Horizonte e figura entre os mais caros do Brasil. O bairro cresceu ao redor do primeiro shopping da cidade, o BH Shopping, o qual foi inaugurado em 1979. Sinônimo de luxo e magnificência, a região conta com apartamentos que podem ultrapassar os 30 mil reais o metro quadrado, além de comércio forte e diversificado, com restaurantes, bares, shoppings, edifícios empresariais e centenas de lojas de rua. Fica a aproximadamente dez quilômetros do Centro e é uma das zonas mais altas da metrópole, acomodando-se em uma altitude de aproximadamente 1.200 metros acima do nível mar. A partir do bairro tem-se uma vista espetacular de BH.


Tenham um ótimo fim de semana!

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

ESTAÇÃO CENTRAL


Toda grande cidade possui sua estação principal de trens e metrô. Paris possui sua Gare du Nord; Nova Iorque tem a Grand Central Station; Londres a Estação de King's Cross; São Paulo a famosa Estação da Luz... e BH não fica atrás. A Estação Central de Belo Horizonte é o principal terminal de trem e de metrô da urbe. Além do metropolitano, a estação recebe diariamente os passageiros da Estrada de Ferro Vitória-Minas, a qual acomoda uma linha que vai ao Espírito Santo, passando (e parando) por diversos municípios mineiros. É lá que é feita toda a gestão da baldeação dos trens de carga que entram e saem da metrópole. Está localizada no Centro, em frente à uma dos maiores complexos viários de BH, a Via Leste-Oeste. A área externa da estação sedia grandes eventos culturais; show nacionais e internacionais e manifestações diversas. É um marco arquitetônico da cidade, sendo uma das primeiras e principais construções da época da inauguração de Belo Horizonte.

Tenham uma ótima noite!

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

BLACK CLAY


O Barro Preto é um dos principais bairros da Zona Central de Belo Horizonte. Ele é considerado como uma extensão do próprio Centro, acomodando alguns edifícios empresariais, comerciais e residenciais, além de milhares de lojas especializadas em moda. Estrategicamente ele é vizinho do bairro Prado, um dos bairros com maior concentração de confecções e escritórios de estilistas do Brasil. O Barro Preto foi colonizado por imigrantes italianos - e talvez por conta disso acomoda a sede do Cruzeiro Esporte Clube, time de origem italiana cujo primeiro nome foi Palestra Itália. Apesar da tradição futebolística, o que se destaca mesmo no bairro é o pólo de moda que abriga, o que faz dele a região predileta das mulheres belo-horizontinas.

Boa noite pra vocês e até amanhã!

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

MEU MUNDO



Belo Horizonte é um mundo... um mundo envolto a uma atmosfera recheada de oportunidades. Esbelta no corpo e madura na concepção, Belo Horizonte é um pólo econômico que move mais de 7 milhões de pessoas em sua região integrada de desenvolvimento econômico, reunidas em seu colar metropolitano, além de reger com maestria um sistema que envolve cerca de 21 milhões de pessoas, habitadas no segundo estado mais populoso do país. Forte na cultura, forte na economia, forte na gastronomia, BH pulsa e o mundo toma nota. Concebida sob o movimento progressista do final do século IXX, a cidade nasceu para ser uma capital administrativa, com foco na política e na gestão do Estado de Minas Gerais. Mas BH extrapolou e se transformou em um dinâmico pólo financeiro, industrial, cultural e comercial, se integrando entre as três maiores e mais importantes metrópoles do Brasil, além de possuir um dos melhores índices de qualidade de vida da América Latina. Conservadora, moderna, dinâmica, rica, gigante, colorida, sóbria, empreendedora, forte, enérgica, elegante, sublime... faltam-me palavras pra descrever essa acolhedora e cosmopolita metrópole!

Boa noite a todos!

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

ARNALDO


Carlos Drummond de Andrade, Ivo Pitanguy, Milton Campos e Guimarães Rosa foram apenas alguns ilustres jovens que estudaram no tradicional Colégio Arnaldo (prédio amarelo, no centro da fotografia), localizado no coração do bairro Funcionários, próximo ao setor hospitalar. O nome da instituição é uma homenagem à um dos fundadores da Congregação do Verbo Divino, o alemão Arnaldo Janssen. Centenário, o colégio foi, por várias gerações do início do século passado, a principal instituição de ensino da elite de Belo Horizonte. 

Uma ótima noite pra vocês e até amanhã!

domingo, 26 de janeiro de 2014

VIVA O NOVO


E o sol se ausenta da face urbana de Belo Horizonte, levando consigo o tão estimado domingo; entregando seus nobres raios louros no horizonte, os quais misturam-se com as escarlates nuances crepusculares da atmosfera que estão presentes neste momento. Foi-se embora o sossego de um domingo relaxante, deixando conosco todo o gás e a esperança por uma semana que recomeça. Sou apaixonado pelas segundas-feiras! É o dia que representa um novo fôlego para tocarmos adiante nossas apostas pessoais. Se a segunda-feira para você é um fardo, é porque não soube escolher bem seus propósitos de vida. Não podemos tocar nossa rotina em prol dos fins de semana e das poucas horas "livres" que temos a noite. Se pararmos para pensar, restam-nos poucos anos de vida ao ansiarmos e vivermos intensamente apenas os momentos de folga. O ofício há de ser prazeroso a ponto de não o enxergarmos como ofício. O trabalho pode se tornar tão aprazível quanto o lazer; e quando isso acontece, sua vida passa a fazer mais sentido. Lembrando que nunca é tarde para recomeçar e empreender por novos desafios, mirar em novos alvos: redescobrirmos! Que venha a segunda-feira recheada de expectativas por novos projetos e pela continuidade dos que já estão em pauta.

Uma semana de sucesso a todos vocês!

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

O SUL DO SUL


Nobreza, glamour e tradição. Essas são uma das principais características dos bairros Santa Lúcia e São Bento, ambos situados no miolo do extremo sul de Belo Horizonte. Eles recebem um fluxo alto de veículos, que os cortam afim de desviarem das constantemente congestionadas avenidas que os circundam, como a Raja Gabáglia e a Nossa Senhora do Carmo. Graças a isso, a região conta com excelente infra-estrutura comercial, abrigando vários restaurantes conhecidos, bares, cafés, supermercados e quatro shoppings, sendo um deles referência em móveis e objetos de decoração. O Santa Lúcia acomoda uma lagoa homônima (canto inferior direito da foto), a qual foi transformada em parque, com pistas de cooper, quadras de esporte e playgrounds. Democráticos, os bairros são frequentado por cidadãos de todas as classes, pois eles são vizinhos do Morro do Papagaio, um dos maiores e mais conhecidos aglomerados da região. 

Tenham um excelente fim de semana!

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

O AZUL DO LESTE


Hoje os céus da Zona Leste emitiam um azul maravilhosamente intenso, colorindo toda a paisagem da região. Um azul sedativo, poético, inspirador. As chuvas cessaram-se brevemente, dando lugar ao bailar das nuvens e à penetração dos tons índigos nos edifícios do lado leste da cidade. Sim, apenas no lado leste, pois a região oeste estava ocupada guardando o sol em seu poente, momento caracterizado pelos louros raios áureos. São os opostos tonais prescrevendo com maestria a atmosfera dos opostos regionais da nossa Grande Belo Horizonte...

Tenham uma ótima noite!

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

BRUMAS EM NOVA LIMA


Situada no extremo sudeste da metrópole, Nova Lima é um município pertencente à Grande BH, região que acomoda a maioria dos grandes condomínios da metrópole. Ela recebe um curioso fenômeno bastante peculiar quase todos os dias: as brumas. Serração é comum em todo o país e não é nenhuma exclusividade da Grande BH. O curioso aqui é que ela acontece apenas em um dos lados da serra, sendo que o outro lado (onde fica a massa urbana mais densa de Belo Horizonte) não ocorre. Em alguns pontos a neblina chega a ser tão densa e espessa que chega a encobrir inúmeras serras, transformando toda a região em um enorme mar de brumas. Um espetáculo da natureza!

Tenham uma ótima noite!

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

ESTÉTICA


O que nos diz uma imagem contendo centenas de blocos de concreto, ora angulosos, ora abaulados? Poderia ser burlesco, poderia ser extravagante... mas é belo! Claro, depende do ponto de vista de cada um. A estética e a beleza foram objetos de estudo em toda a história da arte e da filosofia. No meio popular, a estética faz referência à beleza e suas proporções. A feiura sempre foi evitada por demonstrar sinais de imperfeição. Já no conceito filosófico, o feio pode vir a se tornar o belo, dependendo da forma como é tratado o objeto exposto. Ao nos expressarmos artisticamente, não estamos preocupados em atingir objetivos que agradem padrões de beleza preestabelecidos pela sociedade. Queremos mostrar algo novo, mesmo que seja a partir de algo velho. Usamos o conjunto da obra e seu contexto social para criar uma peça a ser exibida e apreciada. Isso estimula - tanto no criador quanto no espectador - o interesse em avançar sobre as semióticas predispostas; enxergar além do alcance, sintetizar os pequenos detalhes em grandes perspectivas. Evoluímos nossa capacidade de abstração de conceitos determinados pela massa e conseguimos desfrutar mais de situação posta em nosso cotidiano. Saber apreciar o belo vai muito além do alarido filosófico. Quando estimulamos isso, estamos nos permitindo seguir o fluxo de modo não encontrar barreiras na vicissitude da vida. Essencial para pessoas que buscam algo além do convencional.

Tenham uma ótima noite!

Charles Tôrres

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

ATÉ O ALVORECER


Eu possuo um certo fascínio pela noite. Não o período onde os cidadãos chegam em casa para ver o Jornal Nacional, momento o qual ainda há um burburinho na cidade e nas redes sociais. Me refiro à madrugada... o momento que antecede a aurora celeste. Depois que a maioria dos cidadãos adormece, tudo fica mais sereno e os inquietos põe-se a criar. É impressionante olhar pela janela e ver uma cidade com vários milhões de habitantes em plena calmaria, equilibradamente acesa, porém fria. A madrugada é contemplativa, inspira a criatividade, a filosofia e o bate-papo. Ela me remete ao jazz tocado pela dupla piano & saxofone, no volume mínimo do rádio, apenas para uma delicada ambientação. Café para acompanhar um filme policial no corujão ou um vinho francês Baron D'arignac para seduzir as partidas de canastra com a esposa. O safra ruim também é bem vindo, como já dizia a Srta. Gadú. A noite é uma criança... ou faz uma criança! Foi pra lá da madrugada que os grandes ritmos fizeram nome, que os poetas criaram os versos que alteraram os rumos da literatura. Na década de 50, surgiu um movimento artístico-musical nos Estados Unidos denominado JAM Session, que significa "jazz after midnight session", ou sessão de jazz depois da meia-noite, pois a maior parte destas sessões acontecem bem tarde, quando o público pagante de determinada apresentação de jazz já havia se retirado. Os músicos permaneciam no local (que costumava ser um bar, um pub ou um café) e punham-se a improvisar freneticamente, ousando e criando escalas que mudaram o rumo da história da música no planeta. Não há dúvidas que após a meia noite nós ficamos mais propícios à criação. Nos tornamos mais observadores e mais compenetrados em nossos afazeres. Mesmo que tal ocupação seja apenas uma apreciação do céu. Quem ainda não experimentou, fica a dica!

Boa madrugada a todos!

domingo, 19 de janeiro de 2014

MAIS DO MESMO


Quem acompanha o blog já deve ter reparado que comumente eu posto uma fotografia deste ângulo. Não é pra menos, essa é uma das vistas do meu apartamento, a qual tem sua atmosfera modificada a cada variação climática. E hoje, dada as chuvas que inundaram a metrópole nos últimos dois dias, não foi diferente. Clima fresco e aconchegante, que inspira café e pão de queijo. Na foto, as indústrias Vilma (primeiro plano) e Vallourec (segundo plano).

Tenham uma excelente semana!

sábado, 18 de janeiro de 2014

MACROCLIMA


Após uma semana de calor enérgico em Belo Horizonte, com temperaturas máximas que se esbarraram nos 33º (medidos oficialmente pelas estações meteorológicas da Raja Gabáglia e da Pampulha), veio hoje a chuva para dar uma trégua e nos aliviar do ardor intenso provocado pelas altas nos termômetros, que despencou para os 20º as 14h, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia. Ao que parece, todo o Brasil está passando por situação parecida, com altas temperaturas em várias capitais brasileiras. Vamos torcer para que as chuvas venham de vez cessar por um tempo essas hostilidades climáticas, refrescando nossa atmosfera e nos dando um pouco mais de prazer no dia-a-dia, pois a situação já estava beirando o insuportável.

Grande abraço e até amanhã!

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

SULAMÉRICA & SULACAP


E, no centro da foto, um dos primeiros arranha-céus de Belo Horizonte! Projetados na década de 1930 pelo arquiteto Roberto Capello, o conjunto Sulamérica/Sulacap foram precursores da engenharia civil de alta estatura na capital mineira. São prédios gêmeos, situados na confluência da Assis Chateaubriand com Afonso Pena; erguidos sob o desfecho do art déco, fazendo conjunto com o suntuoso Viaduto Santa Tereza numa representação singular de irmandade. Suas quinas angulares com retas precisas harmonizam-se com o traçado planejado da cidade, numa mescla de referências que vai da Mondrian a Mies Van Der Rohe. No interior, tudo o que há de melhor em acabamento e ostentação da época, fazendo do conjunto um dos principais edifícios de escritórios e empresas da grande cidade em sua época.

Ótimo sábado para vocês!

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

PERSEVERANÇA


Em todos os momentos de nossas vidas nos deparamos com situações em que temos que dar tudo de nós para alcançarmos um objetivo. O nome disso é: processo. Tenho notado uma falta de persistência generalizada nos cidadãos, que se encontram cansados e abatidos, fartos de suas rotinas diárias e sem perspectivas para começar algo novo. E quando começam, não gozam de obstinação necessária para insistir naquele processo. Esquecem de que qualquer constância na vida precisa de energia para continuar evoluindo. É que nem uma avenida... para chegarmos ao nosso destino, não podemos desviar da rota. Pode parecer básico isso, mas não é, pois a maior dificuldade do ser humano é a compreensão do valor da persistência. Abatem-se com certa facilidade frente às barreiras interpostas aos acontecimentos da vida, fazendo com que um determinado processo seja interrompido no ápice da sua constância. Vários são os tipos de processo e cada um tem um nível de dificuldade, seja inicial ou final, mas em todos eles, sem exceção, adquiri-se sucesso no final da jornada. Se ainda não obteve, é porque a caminhada ainda não terminou.

Forte abraço!


OVO


"BH é um ovo!"

Escuto com certa frequência essa frase. Não, Belo Horizonte não é um ovo... longe disso, está entre as 60 maiores metrópoles do planeta, entre as 20 maiores das Américas, entre as 5 maiores da América do Sul e é a terceira maior do Brasil. Estamos inseridos em uma massa urbana com quase 6 milhões de habitantes, os quais precisam percorrer 60km de norte a sul e 45km de leste a oeste se quiserem cruzar a cidade a partir de suas fronteiras urbanas extremas. Ou seja, não dá pra chamar de ovo uma cidade com tamanhas dimensões. Mas compreendo porque chamam BH de ovo: por conta da frequência em que encontramos conhecidos nas ruas. Os cidadãos que conhecem muita gente esbarram com amigos e parentes quase todos os dias em uma simples ida ao shopping. Tal fato tem três explicações: interesse comum; cidadãos que moram perto de suas atividades; e a teoria dos 6 graus de separação. O primeiro é quando temos amigos e parentes com fortes interesses comuns. Por exemplo: se faço faculdade de artes plásticas, comumente encontrarei meus colegas de curso ou professores visitando exposições e afins. Se trabalho com arquitetura, vou encontrar meus conhecidos com certa facilidade visitando obras ou assistindo palestras e conferências. Se sempre gostei de passear no shopping (e isso é cultural em minha família), vou sempre topar com primos ou tios perambulando pelos malls da minha região. Já o segundo motivo é quando o cidadão mora perto das suas atividades, como trabalho ou faculdade. Como BH é uma cidade densa, é comum o cidadão morar perto das suas atividades - e muitas vezes nem precisar de veículo para se locomover. Esse constante contato com as vias públicas faz com que frequentemente o sujeito se depare com conhecidos que frequentam os mesmos locais que ele (trabalho, escola, etc.). E por último (e mais importante motivo), a Teoria dos Seis Graus de Separação. Segundo a teoria, entre duas pessoas existem apenas seis contatos intermediários, mesmo que elas estejam em lados opostos do mundo. Esta ideia surgiu em 1967, quando um estudo do psicólogo americano Stanley Milgram concluiu em suas pesquisas que cada um de nós está a apenas seis graus separação de outro grupo de pessoas. Em julho de 2006, a psicóloga Judith Kleinfeld, da Alaska Fairbanks University, analisou as anotações da pesquisa original de Milgram e verificou que 95% das cartas não haviam chegado ao seu destinatário final. Ela concluiu então que a teoria dos seis graus não passava de um mito. Por sua vez, um estudo realizado nos Estados Unidos por pesquisadores da Microsoft concluiu que a teoria dos seis graus de separação pode estar realmente correta, embora talvez sete graus seja um número mais exato. De qualquer forma, ainda não houve uma conclusão concreta sobre o assunto, mas é uma teoria que vem fascinando psicólogos, matemáticos e demais cientistas em todo o planeta, especialmente por conta do advento das redes sociais, que explicitaram tais coincidências. Eu mesmo já me surpreendi ao ver que um conhecido meu em Brasília é amigo no facebook de um amigo meu em Belo Horizonte, logo quando me mudei pra cá. Tais coincidências e encontros são comuns em qualquer cidade, de qualquer esfera... seja BH, Goiânia, Campinas, Salvador, São Paulo, Tóquio, Palmas ou Los Angeles.

Ou seja, BH não é um ovo... mas pode ser que o mundo inteiro seja, se a teoria estiver correta.

Tenham uma excelente noite!

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

BASÍLICA DE LOURDES


Situada na Rua da Bahia, na divisa do Bairro de Lourdes com o Boa Viagem, a Basílica Nossa Senhora de Lourdes é uma das mais conhecidas igrejas católicas de Belo Horizonte e de todo Brasil. Foi projetada em estilo gótico pelo arquiteto Manoel Túnes, sendo 1923 o ano de conclusão de sua construção. Lembro-me que na década de 90 falavam pela cidade que ela estava entre as cinco mais belas e imponentes igrejas da América Latina. Não sei se nos dias de hoje ela conserva o posto, mas mantendo ou não, é fato que sua beleza chama a atenção até dos mais céticos cidadãos...

Tenham uma ótima noite!

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

VILA DA SERRA


Não é a primeira vez que eu posto uma fotografia deste ângulo aqui no blog. Mas não é falta de opção... justamente o contrário, gosto de registrar o Vila da Serra para ir acompanhando o seu crescimento bombástico. Localizado no município de Nova Lima, na Grande Belo Horizonte, o Vila da Serra é um dos bairros que mais crescem atualmente no Brasil. Ele é vizinho-irmão do Belvedere, outro bairro nobre da região. Ainda que muitos questionem, o Vila da Serra não passa de uma extensão do próprio Belvedere, o qual possui uma reduzida área, encravado na Serra do Curral entre a BR-356 e a linha de trem do Ramal de Águas Claras. O bairro está avançando para baixo da referida linha, em uma área de vasta beleza natural, exatamente atrás de uma das maiores serras da cidade. Uma verdadeira selva de pedra luxuosa, onde um delgado apartamento dificilmente sai por menos de um milhão de reais.

Tenham uma ótima noite!

domingo, 12 de janeiro de 2014

SALIÊNCIAS


A topografia acidentada de Belo Horizonte, para muitos, é um dificultador; uma característica contemptível. Mas pra mim, tal fato é uma das maiores graças da cidade, pois não temos uma metrópole que é grande apenas na horizontal, como também na vertical. Como se já não bastasse a infinidade de edifícios de alta estatura, temos uma variação de altura do relevo na área urbana que vai de 650 metros até os 1350 metros acima do nível do mar, circunstância que faz das ruas de BH constantes mirantes. É interessante também notar a variação climática na metrópole, efetuada graças à referida instabilidade nas depressões do solo; fazendo com que, num mesmo dia, possamos sentir temperaturas singulares em várias regiões da urbe, saindo do Centro, por exemplo, num calor de 26º, chegando ao bairro do Comiteco (onde fiz a fotografia acima), nos 18º. É a diversidade da capital mineira se exibindo em todas as suas atmosferas...

Tenham uma excelente semana!

sábado, 11 de janeiro de 2014

SÃO GERALDO


Situado na Zona Leste de Belo Horizonte, o São Geraldo é um bairro de classe média e conta com aproximadamente 20 mil habitantes em uma área de apenas 140 mil hectares, fazendo com que o bairro seja bastante denso, mesmo praticamente não havendo edificações com mais de três pavimentos. A ocupação da área atual do bairro remonta ao ano de 1950, quando a prefeitura realizava obras de captação de água no local. A vila compreendia a área entre as antigas estações ferroviárias do Horto Florestal e de Freitas. O bairro passou a ser chamado de São Geraldo por conta da inauguração de uma paróquia homônima em 1º de janeiro de 1952, no entorno da atual praça São Geraldo. Apesar de contar com infra-estrutura simples, a região é bastante apreciada pelos seus moradores, especialmente por se tratar de um bairro bastante próximo ao Centro (8km) e com bons corredores de acesso à zona central, fazendo com que uma viagem até a referida região não dure mais que dez minutos.

Tenham uma ótima noite!

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

RIO ARRUDAS


O Arrudas é um rio essencialmente metropolitano. Sua nascente fica no extremo sul geográfico da cidade, mais precisamente no Barreiro, no Parque Jatobá, dentro do bairro homônimo; e deságua no Rio das Velhas, já no município de Sabará, percorrendo cerca de 45km dentro da área urbana da Grande BH. Passa por inúmeras grandes avenidas, cortando bairros e zonas inteiras, como Oeste, Leste, Centro; além do município de Contagem. É formado por vários córregos que nele desembocam ao longo do seu curso, formando, juntos, a bacia do Ribeirão Arrudas. Boa parte do seu curso foi tampada recentemente, numa tentativa de ampliar as avenidas por onde ele passa e desafogar o cada vez mais caótico trânsito da metrópole. Apesar de realmente melhorar o tráfego de veículos (ao menos temporariamente), tais iniciativas alteraram significativamente a paisagem da cidade, sendo hoje bastante rara uma perspectiva como essa da fotografia acima.

Tenham um excelente sábado!

---

Quer saber passo a passo como criar seu próprio projeto fotográfico? Conheça nosso Curso de Fotografia Autoral: A Construção do Projeto Fotográfico

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

LUNA


Eis que a lua surge como um fogo, atrás da Serra da Piedade, corada em tons escarlates, alumbrando o anoitecer na Grande Belo Horizonte...

Tenham uma excelente noite!

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

O POR DO SOL NA CIDADE INDUSTRIAL


Contando com quase 700 mil habitantes, ela pulsa, produz, fabrica, manufatura, funde, queima, seleciona, congela, monta, derrete, torneia... transforma! Estamos em Contagem, segundo município mais importante da metrópole e o principal da zona industrial da Grande BH. Situando-se no meio-oeste da cidade, Contagem é a região que mais contribuiu (e continua contribuindo) para o título que leva a Região Metropolitana de Belo Horizonte de segundo maior polo industrial do país. São milhares de indústrias, que vão desde a produção de alimentos, como a Vilma, à fabricação de locomotivas, tal qual a General Electric, passando por indústrias têxteis, químicas, farmacêuticas, mecânicas, automobilísticas, siderúrgicas, metalúrgicas, dentre outras. Por se encontrar no miolo da massa urbana e ser absurdamente conurbada em todos os seus vetores, a região recebe um pesado tráfego de veículos diariamente, especialmente de caminhões carregados com centenas de toneladas de produtos que acabaram de sair da usinagem. O perfil urbano-industrial da região deixou suas marcas na formação da paisagem urbana, na cultura e na personalidade do povo de Contagem, especialmente pelo caráter trabalhador e resistente de sua gente. Foi o polo principal da greve metalúrgica de 1968, um dos maiores emblemas nacionais da resistência ao regime militar. O por do sol mais lindo da Grande BH acontece na direção da Cidade Industrial, principal bairro do município. Também pudera, ele fica no lado oeste da metrópole, exatamente na rota do sol em seu momento poente. É um tanto comum vermos essa cena ao passarmos pelo Anel Rodoviário, que conta com certa elevação em algum de seus pontos. Quem ainda não viu, fica a dica!

Tenham uma ótima noite!

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

O METROPOLITANO


O Metrô de Belo Horizonte é um sistema metroferroviário operante dentro da área urbana da Grande BH, sendo hoje o quarto maior sistema de metrô do país em número de passageiros; perdendo para São Paulo, Rio de Janeiro e Recife. Sua única linha concluída percorre aproximadamente 30km entre a Regional de Venda Nova e a Zona Industrial de Contagem, passando pelo Centro, pela Zona Leste, Oeste, dentre outras regiões. O sistema possui também uma linha incompleta (Linha 2), que conta com aproximadamente 10km de extensão e liga o Bairro Calafate, na Zona Oeste, à Regional do Barreiro. Por questões políticas essa linha ainda não foi concluída, mas há promessas de inauguração para até 2016. O complexo possui ainda a Linha 3, que está em fase de projeto executivo, a qual ligará a Lagoinha à Savassi, num trecho total de 5km de extensão. Nisso, várias linhas anexas estão sendo sugeridas e projetadas; e é possível que até 2020 a cidade possua em torno de 60km de linhas de metrô. Vamos torcer, sem perder as esperanças.

Boa noite a todos!

domingo, 5 de janeiro de 2014

CENTRO


Centrão, miolo, cidade, âmago, cerne, núcleo, coração, hipercentro... Centro! São vários os nomes que distinguem a Zona Central de Belo Horizonte. Quando dizemos "Centro de BH", podemos estar nos referindo à toda a área central da cidade, que compreende os bairros dentro do perímetro da Avenida do Contorno, como Lourdes, Santo Agostinho, Funcionários, Savassi, Boa Viagem, Lagoinha, Floresta, Barro Preto, Santa Efigênia... ou nos referindo apenas ao miolo da região central, chamado de Hipercentro pela prefeitura de BH. De qualquer forma, o Centro como um todo é bastante integrado e conta com milhares de restaurantes, cafés, bares, bancos, lojas, escritórios, empresas e alguns shoppings. De lá o cidadão belo-horizontino pode "tomar" seu ônibus ou metrô pra qualquer zona da urbe, sem exceção. É a melhor região da cidade! Lá tem tudo, pra qualquer tipo, gosto ou situação. Os grandes museus da metrópole ficam no Centro... os maiores espaços culturais também. Além de excelentes pubs, teatros e cinemas. Pujante, o centro de BH é um formigueiro. Das 6h às 22h a região se entope de veículos e as mais diversas representações humanas. Lá você encontra o engravatado executivo indo trabalhar numa grande empresa; o esporte-fino indo ocupar seu posto num banco; o comerciante simples dono de um café; a perua falsa-loura dona de um cabeleireiro; o designer, o fotógrafo, o jornalista, o pedreiro, o marceneiro, o ladrão, o punk, o rapper, o hipster, o clubber, o hippie. Para os turistas, é parada obrigatória. Não tem lugar melhor na cidade para conhecermos o espírito de Belo Horizonte e seus habitantes.

Abraços a todos!

sábado, 4 de janeiro de 2014

CÂNION DA GUAJAJARAS


A Rua dos Guajajaras é uma importante via da zona central de BH. Ela atravessa cinco fundamentais pontos do Centro: o Barro Preto, Santo Agostinho, o Lourdes, o Hipercentro e o Bairro Boa Viagem. Conta com uma quantidade significativa de hotéis, edifícios empresariais e residenciais ao longo de sua extensão, além de charmosos cafés, como o Café Kahlúa; e icônicos edifícios, como o Mirafiori, A Faculdade de Direito da UFMG, o Fórum Lafayette, o Conjunto Governador Juscelino Kubitschek e o centro de exposições Minascentro.

Boa noite a todos!

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

INDEPENDÊNCIA & MINEIRÃO


Não, não é montagem. Dois dos mais importantes estádios futebolísticos do planeta reunidos na mesma fotografia. Dupla de campos que fizeram história no futebol nacional e mundial; coliseus brasileiros que auxiliaram os dois grandes times do futebol mineiro a se imporem entre os principais clubes da atualidade. Foi nesses gigantes que o Cruzeiro Esporte Clube e o Atlético Mineiro mostraram seus dotes e habilidades. Apesar de pequeno, o Independência (canto inferior esquerdo da foto), que é administrado pelo terceiro maior time de Minas Gerias, o América Futebol Clube, já nasceu importante, abrigando na década de 50 a primeira Copa do Mundo realizada no Brasil. Fica no Bairro Horto, na Zona Leste de Belo Horizonte - e graças a isso, recebeu o chavão "caiu no horto, tá morto", na época da invencibilidade atleticana dentro do referido estádio, que hoje é a arena do Galo. Não muito distante dali, a aproximadamente 15km, está o imponente Mineirão (canto superior direito da foto), na região da Pampulha, que atualmente está sob mando do time celeste e preparado para receber a Copa do Mundo de 2014, estando entre as quatro principais arenas do evento. Estamos com os holofotes virados para nós no futebol. O Galo levou a Libertadores e foi parar no mundial em 2013. O Cruzeiro, que é o único time brasileiro que possui a Tríplice Coroa nos padrões internacionais da Fifa, levou a taça do Brasileirão. É Belo Horizonte e Minas Gerais consolidando e determinando sua força esportiva, mesmo sob as duras imposições midiáticas que insistem em afirmar que não há Brasil fora do eixo... se é que me entendem.

Que venha 2014, com tudo!

quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

VIA LESTE-OESTE


Quem acompanha o blog já deve ter percebido que é com certa frequência que eu posto fotografias da Via Leste-Oeste por aqui. Também já devem ter estranhado essa nomenclatura, já que comumente chamamos a via com outros nomes. Explico: posto fotos dessa avenida constantemente pois passo por ela praticamente todos os dias, no trajeto casa~estúdio. E o nome "Leste-Oeste" foi um acordo entre as prefeituras, para facilitar a nomenclatura de toda a extensão da via, que possui nomes diferentes ao longo dela, tais como Andradas, Contorno, Tereza Cristina e Via Expressa. Com cerca de 40km de extensão, a Via Leste-Oeste é um dos maiores complexos viários da cidade e liga importantes regiões da metrópole, como a Zona Oeste, Leste, Noroeste, Central, Contagem e Betim. Cerca de 22km da via é expressa, ou seja, não possui interceptações ao longo do trecho.

Tenham uma ótima noite!

Arquivo do blog