quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

CROCANTE POR FORA, MACIO POR DENTRO


Que mineiro é desconfiado, ninguém duvida. Mineiro desconfia se o pão de queijo assou por dentro; se o bujão de gás foi comprado cheio; se o motorista vai parar no sinal fechado; desconfia da esmola farta e da recompensa enxuta; desconfia da vizinha; do chefe; da empregada; do açougueiro; do turista; do fotógrafo de rua; do maquinista do metrô; do político Joaquim e da santa do pau oco. Mineiro é tão desconfiado que tem semblante hostil mesmo sendo um poço de delicadeza. Crocante por fora, macio por dentro. Nacionalmente idolatrado por sua maestria em acolher bem, possui uma dificuldade enorme em abrir seu coração de primeira. Por outro lado, após aberto, é amigo pro resto da vida, daqueles que podemos contar pro que der e vier. Trabalhador por natureza, o próprio gentílico denuncia: mineiro é competente em tudo o que faz. Belo Horizonte é uma terra formada por essa gente... gente com fé na tábua e suor na enxada. Gente que soube transformar uma cidade de vários milhões de habitantes em um lugar aconchegante e maravilhoso de se viver. Metrópole do café, do queijo, da boa prosa e dos grandes amigos. Terra de gigantes pela própria natureza.


Boa noite pessoal!

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

LUCY IN THE SKY WITH DIAMONDS


Olá pessoal! Tirei essa fotografia quando estava parado em um gigantesco congestionamento no Anel Rodoviário. Apesar do calor infernal que os belo-horizontinos estão sofrendo nesses últimos dias, essa época do ano garante maravilhosas configurações celestes - excelentes molduras abstratas para compor o visual de qualquer fotografia urbana.

Tenham uma ótima noite!

domingo, 24 de fevereiro de 2013

CENTRO


Belo Horizonte acomoda o terceiro maior centro financeiro e comercial do Brasil. Com oito empresas figurando entre as cem maiores do país, é com folga a terceira no ranking nacional desta classificação. Pujante, o centro de BH (também chamado de Hipercentro) é um formigueiro. Das 6h às 22h a região se entope de carros, ônibus, motos e as mais diversas representações humanas. Lá você encontra o engravatado executivo indo trabalhar numa grande empresa; o esporte-fino indo ocupar seu posto num banco; o comerciante simples dono de um café; a perua falsa-loura dona de um cabeleireiro; o designer, o fotógrafo, o jornalista, o pedreiro, o marceneiro, o ladrão, o punk, o rapper, o hipster, o clubber, o hippie... inclusive já fui atacado por um exemplar desse último em plena Av. Afonso Pena! Mas isso é assunto pra outro post...

Abraços a todos!

sábado, 23 de fevereiro de 2013

BRASÍLIA - SÃO PAULO


Cortada por rodovias que ligam as principais cidades brasileiras, Belo Horizonte é um dos maiores entroncamentos viários do país, pois é rasgada por estradas que ligam diretamente a capital mineira às duas maiores cidades da nação: São Paulo e Rio de Janeiro. Além delas, temos estradas que vão à capital federal; Espírito Santo e centenas de cidades mineiras. Apesar de saturadas e muito congestionadas em horário de pico, em especial o Anel Rodoviário, as rodovias que cortam a metrópole cumprem bem o papel dispersador e garantem uma saída relativamente rápida à quem deixa a terceira maior cidade do país em direção aos outros grandes centros.

Tenham uma ótima noite!

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

ABRIGO DA PONTE



Seguindo a corrente levando em frente descendo a ponte que mora o carente que bebe aguardente rente ao requinte da forma inerente da vida incessante de um pobre gerente. Este é o abrigo que mora o perigo não pago nem ligo pro joio ou pro trigo eu quero um amigo que não ligue pro umbigo do antigo fulano  que não anda comigo que come figo no próprio jazigo. Moro em Beagá que só anda devagá se o carro estragá ou o se bebum embriagá com o próprio paladá ou pará pra cagá. Moro no Centro sem anfiteatro a um centímetro do bueiro nojento que cheira gasômetro. Minha vida é esta subir Bahia descer Floresta com sol na testa olhei pela fresta me chamaram de besta do boom econômico e o planalto faz festa. Peguei o metrô pra casa num vô feliz num estô sou dono da rua nem lar me sobrô.

Boa noite, dotô!

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

SAÍDA


“O verdadeiro ato de descoberta não consiste na busca de novas terras, mas em vê-las com novos olhos”.

O francês Marcel Proust não poderia estar mais lúcido ao conceber essa frase. Somos frutos da imposição de um sistema regido pela rotina e pela sequência de fatos diários, que nos colocam numa cadeia de acontecimentos, ora distintos, ora semelhantes... os quais, mesmo que interpostos, fazem do conjunto uma massa de única e inalterável. Somos programados a estudar pra entrar na faculdade, formar pra conseguir um bom emprego, trabalhar pra conseguir uma promoção, nos exercitar pra ter saúde, ver notícias pra ter o que comentar, se impor para não se abalar, acreditar em um deus pra não ter medo do dia seguinte. Nos vangloriamos por ter opinião formada, mas poucos se tocam que essa opinião não passa de uma reestruturação do conceito de outro indivíduo. Por mais que tentamos olhar pra frete ou para o alto, nossa visão periférica sempre vai enxergar o próprio nariz. Na teia em que vivemos raramente olhamos para os lados. Mas quando olhamos, descobrimos um mundo novo. Um mundo de possibilidades. Um mundo onde podemos construir outros mundos, mesmo que dentro do próprio quarto. Quando aprendermos a enxergar as coisas além do mostrado, estamos nos instruindo a dar valor às pequenas coisas, dar mais doçura ao nosso dia-a-dia e descobrindo novas possibilidades. Essa é minha filosofia. Aqui no blog, eu quero mostrar pra vocês uma visão diferenciada da nossa belíssima cidade, em um trabalho focado na mais pura fotografia, e aprendendo, junto com vocês, a olhar além do alcance, em busca de novos horizontes dentro da nossa Belo Horizonte!


Uma boa noite pra vocês e até amanhã!

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

APOLO


Belo Horizonte voltou, nas últimas duas semanas, a sofrer com o calor incessante. São máximas de 30º a 32º graus que estão fazendo os cidadãos suarem as camisas. Já são mais de duas semanas sem chuva, um período longo, se tratando dessa época do ano. Apesar disso, ganhamos um céu maravilhoso, com nuvens flamejantes que parecem dançar por entre a atmosfera.

Tenham uma ótima noite!

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

GARE DU CENTRE


Hoje passei em frente à suntuosa Estação Central e não resisti, fiz uma fotografia do edifício, mesmo ele já tendo sido motivo da foto do dia de uma semana atrás. Sou apaixonado pela sua arquitetura. Toda grande cidade possui sua estação principal de trens e metrô. Paris possui sua Gare du Nord; Nova Iorque tem a Grand Central Station; Londres a Estação de King's Cross; São Paulo a famosa Estação da Luz... e BH não fica atrás. Em menor proporção que as cidades citadas acima, a Estação Central de Belo Horizonte é o principal terminal de trem e de metrô da urbe. Além do metropolitano, a estação recebe diariamente os passageiros da Estrada de Ferro Vitória-Minas, a qual acomoda uma linha diária que vai ao Espírito Santo, passando (e parando) por diversos municípios mineiros. Se situa no coração financeiro da cidade e recebe aproximadamente duzentos mil passageiros por dia.

Até mais!

domingo, 17 de fevereiro de 2013

CILINDRO


A estética e a beleza foram objetos de estudo em toda a história da arte e da filosofia. No meio popular, a estética faz referência à beleza e suas proporções. A feiura sempre foi evitada por demonstrar sinais de imperfeição. Já no conceito filosófico, o feio pode vir a se tornar o belo, dependendo da forma como é tratado o objeto exposto. Ao nos expressarmos artisticamente, não estamos preocupados em atingir objetivos que agradem padrões de beleza preestabelecidos pela sociedade. Queremos mostrar algo novo, mesmo que seja a partir de algo velho. Usamos o conjunto da obra e seu contexto social para criar uma peça a ser exibida e apreciada. Isso estimula - tanto no criador quanto no espectador - o interesse em avançar sobre as semióticas predispostas; enxergar além do alcance, sintetizar os pequenos detalhes em grandes perspectivas. Evoluímos nossa capacidade de abstração de conceitos determinados pela massa e conseguimos desfrutar mais de situação posta em nosso cotidiano. Saber apreciar o belo vai muito além do alarido filosófico. Quando estimulamos isso, estamos nos permitindo seguir o fluxo de modo não encontrar barreiras na vicissitude da vida. Essencial para pessoas que buscam algo além do convencional.

Tenham uma ótima semana!

sábado, 16 de fevereiro de 2013

PAPAGAIO


Um dos mais emblemáticos aglomerados da metrópole mineira, o Morro do Papagaio é uma favela, situada no miolo da Zona Sul, ironicamente comprimida entre diversos bairros nobres da cidade. De um lado passa a diplomática Av. Nossa Senhora do Carmo, e do outro, acomoda-se o pequeno lago do bairro Santa Lúcia. Apesar da pequena área mostrada na foto, o aglomerado é enorme e conta com quase vinte mil moradores. Posso estar enganado, mas acredito que a alcunha "favela" não cabe mais ao local, já que o mesmo possui ruas urbanizadas, asfaltadas, com iluminação elétrica, rede de esgoto água encanada nas residências. Além do mais, a população do morro é pacifica, com praticamente 100% dos moradores trabalhando ou estudando em localidades próximas. Sua localização privilegiada (situando-se a três quilômetros do Centro de BH) faz com que seja cobiçada por estudantes vindos de outros lugares do país, atraídos pelo baixo preço cobrado em aluguéis de pequenos quartos, ante os valores praticados no restante da Zona Sul.

Tenham uma ótima noite!

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

ABBEY DOS CAETÉS


Contando com cerca de 1.5km de extensão, a Rua dos Caetés fica no hipercentro de Belo Horizonte e é uma das mais tradicionais ruas comerciais da região. Ela mantém, atrás dos balcões das lojas, a centenária tradição dos imigrantes. São sírios, árabes, chineses, libaneses, italianos e descendentes que até hoje conquistam seus clientes com o mesmo carisma e camaradagem de outrora. Na movimentada via acomodam-se aproximadamente 700 lojas que oferecem os mais diversos produtos para os quase 40 mil pedestres que passam por ali diariamente. Seu forte apelo comercial é graças ao próprio traçado da via: ela liga a praça que fica em frente à principal rodoviária da cidade à Estação Central, de trem e metrô. Além das lojas, a rua abriga também um Liceu de Artes e alguns edifícios empresariais. Outra questão interessante da Caetés é seu museu arquitetônico ao ar livre. Ao longo da via, são encontrados diversos exemplares de vários estilos, como ecletismo, modernismo, contemporâneo e art-déco. Com certeza, um dos vetores mais interessantes da Zona Central de BH.

Tenham uma ótima noite!

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

NIEMEYER DA PRAÇA II


Bom, aproveitando o "gancho" da fotografia que postei ontem, hoje resolvi tirar uma foto do mais alto edifício concebido por Niemeyer na metrópole mineira, o famoso Edifício JK (no meio-esquerdo da foto). Ele se situa na Zona Central de BH, e assim como o Ed. Niemeyer que postei ontem, ele também se acomoda à beira de outra famosa praça da região, a Raul Soares. Contando com 36 andares, faz parte do Conjunto Governador Juscelino Kubitschek, o qual possui dois edifícios (o outro, à extrema esquerda, possui 23 andares), duas galerias comerciais, um pequeno terminal de ônibus rodoviários, uma casa de shows especializada em indie-rock underground, uma igreja, uma delegacia, bancos e galerias de arte. O projeto se deu em 1952 e começou a ser construído no ano seguinte, mas apenas em 1965 o complexo ficou pronto. O próprio arquiteto não gostou muito do resultado final, pois alguns elementos da planta original foram descartados por falta de verbas, como passarelas entre os prédios e uma rampa. Com mais de 120 metros de altura, ele é uma dos mais altos arranha-céus brasileiros, além de abrigar quase seis mil moradores, número maior que a população de grande parte das cidades do país. O conjunto possui uma população bem diversificada, abrigando, médicos, advogados e, principalmente, arquitetos. A grande maioria dos moradores são estudantes de arquitetura ou já trabalham profissionalmente na área. Sem dúvida, um dos principais marcos arquitetônicos de Belo Horizonte.

Tenham uma ótima noite e até amanhã!

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

NIEMEYER DA PRAÇA


Inaugurado em 1955, o Edifício Niemeyer se destaca por entre as construções clássicas da glamourosa Praça da Liberdade. Suas linhas, inspiradas no relevo mineiro e idealizado sob preceitos modernistas (com leve influência barroca), chamam a atenção de quem passa pela região onde ele se acomoda, tamanha sua originalidade. O arquiteto homônimo pensou em cada detalhe ao projetar a obra, a qual foi um dos maiores marcos de sua carreira e uma das principais obras arquitetônicas da década. Uma das peculiaridades do prédio se encontra no quarto de empregada dos apartamentos: a vista! Niemeyer não deixou de dar seu toque socialista em seu projeto e deixou a melhor vista panorâmica do apartamento nas dependências da empregada doméstica. Seja no modo de elaborar as abafadas acomodações políticas ou o fato de ser um ateu construindo as igrejas mais famosas do Brasil, Oscar Niemeyer sempre dava sua pitada de ironia. Quem é gênio como ele, pode...

Tenham uma ótima noite!

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Aê pessoal,


Após inúmeros pedidos, em especial da minha cara esposa Lígia Tôrres, resolvi facebookear o "BH - Uma Foto Por Dia". Criei uma página para aumentar a interação com o crescente público que visita o blog diariamente. Essa página receberá o mesmo conteúdo do blog, além de novidades sobre fotografia, BH, urbanidades, design, música e artes em geral. Lá também vou falando aos poucos sobre o processo de se tirar uma foto por dia da cidade, da escolha do ângulo/momento à sua edição final. 


Aguardem novidades diárias!

Abraços à todos!

domingo, 10 de fevereiro de 2013

ESTAÇÃO CENTRAL


A Estação Central é a principal estação de metrô da metrópole mineira. Está localizada no Centro, em frente à uma dos maiores complexos viários de BH, a Via Leste - Oeste. A área externa da estação sedia grandes eventos culturais; show nacionais e internacionais e manifestações diversas. É dela que sai diariamente o trem de passageiros que corta o Leste de Minas Gerais rumo à Vitória, no Espírito Santo, passando por diversos municípios, os quais também possuem suas paradas. É um marco arquitetônico da cidade, sendo uma das primeiras e principais construções da época da inauguração de Belo Horizonte.


Tenham uma ótima noite!

sábado, 9 de fevereiro de 2013

CENTRAL PARK


Não é só Nova Iorque que tem direito à um parque urbano no coração financeiro da metrópole. O Parque Municipal Américo Renné Giannetti fica no Centro de Belo Horizonte e é a principal área verde do downtown belo-horizontino. Projetado pelo ilustre Paul Villon, o qual também projetou outros maravilhosos parques no Rio de Janeiro e em São Paulo, o "Central Park" de BH foi inspirado nos jardins de Paris, e é um recanto de lazer e sossego aos trabalhadores da região, na encruzilhada de um dos mais movimentados centros urbanos do Brasil. O  projeto reúne  coreto, orquidário, monumentos e teatro de arena; possui mais de duzentas espécies de árvores e plantas em geral, além de pequenas espécies de animais: pássaros, gatos, esquilos, micos e peixes. Áreas de lazer, como quadras de tênis, pistas de patinação, passeios de barco, aparelhos de ginástica, bar e lanchonete estão inclusos dentre suas diversas opções de entretenimento. A sua interação com a movimentação urbana do centro da cidade é contrastante, tamanha a paz que encontramos no interior do parque em distinção com a movimentação caótica das grandes avenidas que o circundam. Uma experiência inigualável!

Uma boa noite pra vocês e até amanhã.

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

A SOCIEDADE DO ANEL


Uma das mais perigosas avenidas urbanas do Brasil, o Anel Rodoviário de Belo Horizonte foi projetado para ser uma via expressa de ligação entre as principais rodovias federais que cortam a cidade. Em seus quase 30 quilômetros de extensão habitam milhares de famílias carentes, oriundas de diversas partes do país que vieram à BH em busca de novas oportunidades. Foram aglomerando-se à margem da via e proliferando-se em favelas conforme as necessidades surgiam. Com o crescimento da metrópole, a massa urbana "engoliu" o Anel, o transformando em uma avenida comum da cidade. Por se tratar de uma via expressa, ou seja, sem semáforos ou interrupções, o transito por lá é sempre muito intenso, com habitantes da Grande BH dividindo as pistas com carretas carregadas, vindo ou saindo da cidade, fato que expõe as famílias que moram na região à um perigo ainda maior. Por ser de jurisprudência federal, nem a Prefeitura nem o Governo do Estado tomaram uma atitude, no tocante à transferência das pessoas à um local mais seguro. A esperança é que o projeto feito pelo Governo Federal de reforma do Anel saia do papel o mais breve possível. A promessa garantia que a obra ficaria pronta antes da Copa do Mundo. Mas como promessa de político no Brasil é tão sólida quanto mel, vamos aguardar as cenas do próximo capítulo.

Tenham uma ótima noite!

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

A SÚMULA DAS MAGNÂNIMAS


A fotografia urbana dá-nos a oportunidade de explorarmos o espaço público que convivemos e suas milhares de óticas, versões, cores, utopias, formas e fatos. Estudamos a cidade em sua condição de massa imóvel, da mesma forma que avaliamos sua movimentação frenética para conseguirmos melhores instantes fotográficos. O ponto categórico da foto-urbe se dá na dimensão em que se encontra uma massa urbana e suas infinitas possibilidades, sem nos deixarmos cair na tentação do lugar-comum... e por valer a regra, nos instigamos a quebrá-la de vez em quando.

Tenham uma ótima semana!

Arquivo do blog