domingo, 30 de junho de 2013

MADE IN ATRIX


“O verdadeiro ato de descoberta não consiste na busca de novas terras, mas em vê-las com novos olhos”.

O francês Marcel Proust não poderia estar mais lúcido ao conceber essa frase. Somos frutos da imposição de um sistema regido pela rotina e pela sequência de fatos diários, que nos colocam numa cadeia de acontecimentos, ora distintos, ora semelhantes... os quais, mesmo que interpostos, fazem do conjunto uma massa de única e inalterável. Somos programados a estudar pra entrar na faculdade, formar pra conseguir um bom emprego, trabalhar pra conseguir uma promoção, nos exercitar pra ter saúde, ver notícias pra ter o que comentar, se impor para não se abalar, acreditar em um deus pra não ter medo do dia seguinte. Nos vangloriamos por ter opinião formada, mas poucos se tocam que essa opinião não passa de uma reestruturação do conceito de outro indivíduo. Por mais que tentamos olhar pra frete ou para o alto, nossa visão periférica sempre vai enxergar o próprio nariz. Na teia em que vivemos raramente olhamos para os lados. Mas quando olhamos, descobrimos um mundo novo. Um mundo de possibilidades. Um mundo onde podemos construir outros mundos, mesmo que dentro do próprio quarto. Quando aprendermos a enxergar as coisas além do mostrado, estamos nos instruindo a dar valor às pequenas coisas, dar mais doçura ao nosso dia-a-dia e descobrindo novas possibilidades. Essa é minha filosofia. Aqui no meu blog eu quero mostrar pra vocês uma visão diferenciada da nossa belíssima cidade e aprendendo, junto com vocês, a olhar além do alcance, em busca de novos horizontes dentro da nossa Belo Horizonte!

Um bom domingo pra vocês e até amanhã!

sábado, 29 de junho de 2013

ARTISTAS DE RUA


Oriundos de diversas partes do Brasil, os Artistas de Rua de Belo Horizonte atuam tradicionalmente nos cenários urbanos, entretendo pedestres, motoristas e comerciantes que passam ou vivem em determinada região; como é o caso de Gabriel Fernandes Ribeiro. Natural de Belém do Pará, Gabriel mora em BH desde outubro do ano passado e,  assim como vários outros atuantes dessa cena cultural urbana, mantém um ponto de trabalho fixo, no caso, na Rua da Bahia com a Rua Gonçalves Dias, próximo à Praça da Liberdade. Apesar disso, o artista faz shows em diversas cidades de Minas e do Brasil. Vale a pena parar para apreciar suas peripécias malabarísticas do alto de suas longas e delgadas pernas de pau.

Tenham um ótimo sábado!

sexta-feira, 28 de junho de 2013

CENÁRIO DIÁRIO


Tenho gostado de fotografar com câmeras analógicas. Algumas fotos que posto aqui foram feitas com elas e estou muito satisfeito com o resultado. Ficamos limitados com a pós-produção e nos preocupamos bastante com a pré-produção, dando bastante enfoque à composição e enquadramento, haja vista que temos disponíveis apenas 36 chapas no filme, e convenhamos, chapas caras! Especialmente os filmes P&B. Então, posto aqui mais um fruto de muita exploração urbana, mais uma vez na ótica de uma câmera produzida em 1978, na Alemanha Oriental.

Em breve, novas experiências. Tenham uma excelente noite!

quinta-feira, 27 de junho de 2013

MEGA URBE


Existe naquela cidade, uma atmosfera urbana envolvente
Existe naquele lugar, uma imponência majestosa sem idade

Sem idade pra ser, pra crescer, pra revirar e se impor

Eu vi naquele local, uma galera de coração enorme
Eu vi naquelas pessoas, um carisma humano sem igual

Sem restrição, sem dissonância, sem medo de ser feliz

Eu senti naquele fogo, uma intensidade pulsatória enérgica
Eu senti naquele fluxo, uma vontade de estar no jogo

No jogo da vida, do ritmo, da força que move a metrópole

Eu cresci naquela aldeia, recheada de costumes e sabores
Eu cresci naquelas quadras, com pujança que incendeia

Que move, que inspira, que atiça a vontade da vida

Eu vi nos horizontes, uma metrópole que promete
Eu vi na paisagem, um futuro no vale dos montes

Eu vi.... Belo Horizonte.

Charles Tôrres

quarta-feira, 26 de junho de 2013

LICEU DE ARTES


Projetado pelo arquiteto Ricardo Wriedt, em 1925, o palacete azul da Rua Caetés foi durante muitos anos a sede do Banco do Comércio e Indústria de Minas Gerais. Hoje ele ocupa o Liceu de Artes JK, tendo como instituição mantenedora o SESC, o qual realiza diariamente palestras, exposições culturais, apresentação de danças e música; dentre outros.

Uma ótima noite a todos!

terça-feira, 25 de junho de 2013

ZONA SUL EM ÓTICA ALEMÃ


Possuindo uma absurda densidade, com mais de 8 mil habitantes por quilômetro quadrado, e um IDH médio de 0,960 (um dos maiores do país), a Zona Sul de Belo Horizonte é a mais valorizada região de toda a metrópole mineira. Nela há bairros dentre os mais caros do Brasil, com valores de imóveis que ultrapassam os 22 mil reais o metro quadrado. Praticamente não há mais lotes vagos em sua reduzida área, onde residem 350 mil habitantes; e os quinhões disponíveis (normalmente provenientes de casas demolidas) são disputados acirradamente entre as construtoras por valores milionários. Mas não é só de números sobejos que vive o local. A região sul da cidade é belíssima, com lindas avenidas e praças; ótimos shoppings, restaurantes, bares, cafés e badaladíssimas casas noturnas.  Uma das características marcantes da região também são suas favelas, duas dentre as maiores da cidade, como o Morro do Papagaio (a direita na foto) e o Aglomerado da Serra. Apesar do nome, geograficamente o local já deixou de ser exatamente o lado sul da cidade há tempos, ocupando hoje o lado leste de BH. Com o crescimento da urbe por todos vetores, a verdadeira parte sul da Grande Belo Horizonte é a regional Barreiro, bem como o município de Ibirité. Será que mantiveram o nome pelo sentença histórico que ele carrega? Ou pelo teor aristocrata que ronda a estirpe? Talvez pela praticidade, já que trocar nomes de zonas não deve ser tarefa fácil. De qualquer forma, é uma região singular em Belo Horizonte.

Tenham uma ótima quarta-feira!

segunda-feira, 24 de junho de 2013

FENDA


Cânion formado por edifícios na Praça Sete, no quarteirão fechado da Rua Rio de Janeiro. Lugar onde cúmplices da história de Belo Horizonte hoje jogam damas e xadrez, saudosos por uma época que não tem mais volta...

Tenham uma ótima noite!

domingo, 23 de junho de 2013

FERNÃO DIAS


A Rodovia Fernão Dias é a denominação que a BR-381 recebe no trecho entre a primeira e a terceira maior região metropolitana do Brasil: a Grande São Paulo e a Grande Belo Horizonte. É uma rodovia de extrema importância econômica para o país, que foi duplicada no último governo tucano e posteriormente foi privatizada nos trechos que interligam as duas referidas metrópoles. É uma das vias mais movimentadas da Zona Oeste da urbe, recebendo, dentre turistas e cidadãos de BH, um dos maiores tráfegos de caminhões do país, carregados de mercadoria industrial, seja ela primária ou terciária.

Tenham uma excelente semana!

sábado, 22 de junho de 2013

150 MIL NAS RUAS


Hoje, mais uma vez, grandes avenidas de Belo Horizonte foram tomadas por manifestantes. Foram cerca de 150 mil cidadãos que, nos moldes dos protestos realizados na última segunda-feira, saíram da Praça Sete em direção ao Mineirão, passando alguns pela Avenida Antônio Carlos e outros pela Catalão. Os 12km do trajeto foram tomados pelas cores brancas das camisas dos manifestantes em um clima pacífico e bastante contagiante. Infelizmente, ao chegar à Avenida Abrahão Caram, vândalos que acompanhavam a passeata metamorfosearam o perfil ordeiro do movimento em um alvoroço que lembrava uma guerra civil. Depredaram uma agência de veículos, picharam muros e pilares de viadutos; derrubaram grades de proteção da UFMG; atearam fogo em estações do BRT, carros e postos de combustível; jogaram pedras e bombas caseiras nos policiais que mantinham a barreira estabelecida pela FIFA e promoveram a reação dos referidos militares, que corresponderam com bobas de efeito moral e tiros de balas de borracha. Ação violenta de poucos que desmoralizou o ato ordeiro de muitos.

Tenham uma ótima noite.

quinta-feira, 20 de junho de 2013

O TREM QUE RASGA O LESTE - II


Quem frequenta ou mora na Zona Leste, Sabará ou Caetés, convive diariamente com o constante ir e vir dos trens que cortam a regional. São várias composições transitando pelas ferrovias praticamente o tempo todo. Não apenas na região leste, como em toda a metrópole, já que a Região Metropolitana de Belo Horizonte é o mais importante entroncamento ferroviário do país, pois as linhas que ferem as entranhas da urbe ligam todas as regiões do Brasil, de norte à sul e de leste à oeste. O fluxo constante se deve à grande massa industrial existente na cidade, especialmente em Contagem, Betim e no Barreiro. São trens que vão carregados de grãos, aço, ferro, alumínio e metais processados; além do comboio de passageiros que percorre a EFVM - Estrada de Ferro Vitória Minas, o qual sai diariamente da Estação Central em BH rumo à Cariacica, na Região Metropolitana de Vitória. Isso sem falar no Metrô, que conta com aproximadamente 30km de extensão e está prestes a ser ampliado. Como podem observar, o trem, que é um dos mais icônicos símbolos de Minas Gerais, não deixa de estar presente no dia-a-dia dos cidadãos da Grande BH.

Tenham uma ótima noite!

quarta-feira, 19 de junho de 2013

4º ATO


Belo Horizonte tem mais um dia revolucionário e a metrópole volta a parar. Foram cerca de 11 horas de protestos, mas dessa vez a manifestação se espalhou, atingindo diversos pontos da região central simultaneamente. Além de bloquear a imponente Praça Sete, principal cruzamento de avenidas do centro da cidade, os manifestantes se infiltraram pelas ruas da região da Savassi, Assembléia, Estação Central e Lagoinha, além das avenidas Cristiano Machado, Viaduto Leste, Andradas, João Pinheiro, Contorno, Nossa Senhora do Carmo, Cristóvão Colombo e Bias Fortes. Dentre os protestos, houveram mais demonstrações vandálicas, mas os manifestantes enfrentaram os saqueadores, impedindo-os de acessar lojas ou quebrar o patrimônio público. Amanhã tem mais; e pra sábado, quase 60 mil já confirmaram presença.

Tenham uma ótima noite!

terça-feira, 18 de junho de 2013

PAPAGAIO


Um dos mais emblemáticos aglomerados da metrópole mineira, o Morro do Papagaio é uma favela, situada no miolo da Zona Sul, ironicamente comprimida entre diversos bairros nobres da cidade. De um lado passa a diplomática Av. Nossa Senhora do Carmo, e do outro, acomoda-se o estreito lago do bairro Santa Lúcia. Apesar da pequena área mostrada na foto, o aglomerado é enorme e conta com quase vinte mil moradores. Posso estar enganado, mas acredito que a alcunha "favela" não cabe mais ao local, já que o mesmo possui ruas urbanizadas, asfaltadas, com iluminação elétrica, rede de esgoto água encanada nas residências. Além do mais, a população do morro é pacifica, com praticamente 100% dos moradores trabalhando ou estudando em localidades próximas. Sua localização privilegiada (situando-se a três quilômetros do Centro de BH) faz com que seja cobiçada por estudantes vindos de outros lugares do país, atraídos pelo baixo preço cobrado em aluguéis de pequenos quartos, ante os valores praticados no restante da Zona Sul.

Tenham uma ótima noite!

segunda-feira, 17 de junho de 2013

E A MOBILIZAÇÃO CONTINUA


Milhares de cidadãos se reuniram outra vez em Belo Horizonte para mais um dia de protestos. O primeiro grupo saiu do Centro no meio da tarde, rumo ao Mineirão, em uma marcha jamais vista antes na cidade. Atravessaram cerca de dez quilômetros na Avenida Antônio Carlos, ganhando adeptos a medida que iam se aproximando do estádio. Foram cerca de 50 mil manifestantes, segundo fontes organizadoras. Entre paus e rochas, nossa hegemonia pacífica foi quebrada e a ilustríssima Polícia Militar de Minas Gerais, quando atiraram a primeira pedra, ou melhor, a primeira bomba de gás lacrimogênio. Por ora, câmeras de repórteres foram quebradas, celulares jogados ao chão e muitos feridos na Pampulha, sendo que nenhum manifestante conseguiu chegar ao coliseu futebolístico mineiro. E agora a noite, outro aglomerado parou o trânsito das principais avenidas da região central da cidade. Isso sem contar as grandes metrópoles do Brasil, que em consonância com Belo Horizonte, lutam por um país mais justo...

Tenham uma excelente... revolução!

domingo, 16 de junho de 2013

SKY LOUNGE


Localizada em um dos pontos mais altos da metrópole, a Torre Alta Vila é um ícone da Grande Belo Horizonte. Possui pouco mais de 100 metros de altura, garantindo uma visão espetacular da cidade, especialmente da Zona Sul. Possui iluminação diferenciada, desenvolvida exclusivamente para ela. Situada a cerca de 10 quilômetros do centro da capital, no mais novo complexo empresarial da cidade, rodeada de edifícios corporativos, faculdades, hospitais, shoppings e condomínios residenciais verticais de alto luxo.

Tenham uma excelente noite!

sábado, 15 de junho de 2013

ONDE ESTÁ O WALLY?


Milhares de cidadãos se aglomeraram hoje na Savassi em prol de uma manifestação contra a Copa das Confederações e o aumento das passagens de ônibus. Apesar do volume de pessoas (cerca de 10 mil), a manifestação foi pacífica, ao contrário dos demais protestos no restante do país. Não houve registros de danos ao patrimônio público e nem violência entre manifestantes e militares. O grupo se reuniu na Praça da Savassi e foi ganhando força no trajeto à Praça Rio Branco, passando pela Afonso Pena, Praça Sete e Estação Central. 

Tenham uma ótima noite!

sexta-feira, 14 de junho de 2013

ELEVADO DA LINHA VERDE



A Linha Verde é um sistema viário que conta com aproximadamente 40km de extensão e liga a região central da metrópole ao seu aeroporto internacional. Corta diversas zonas da cidade (dentre regionais e municípios); e possui uma estrutura urbanística complexa, com túneis, viadutos, elevados, metrô (por entre mãos), busway e o futuro BRT.

Tenham um ótimo dia!

quinta-feira, 13 de junho de 2013

MARCHA LUNAR


Andar perene, solene, ao véu do sol. Luz aterra a lua, ofusca o lume fixo e seduz o seu freguês. O poeta já entende e o amante é professor. O croma deste brilho desperta... sou amador!

Continuo pelo torto pois há paus e pedras no meio do caminho. Afim de encontrar, uma jornada lunar. Pois me entrego ao esforço aflito e sei que estou num errado lugar.

Procuro o comandante do caminhar sincronizado, ao astro dominante, à musa dos inquietos. Quero extorquir dessa viagem sem volta para o indecifrável ser humano; e para o questionamento misto... o veredito do funcionamento, da máquina circulante.

Observo a companheira da toca humana. Um passeio interessante ao aspecto nulo, todo-poderoso. Observo ainda que sou filho desse aspecto. E como bom herdeiro, acabo me entregando.

Enfim, vou pesquisar: obcecado ou indiferente? Eclipse em nossas cabeças, escurecendo o caminhar. Talvez, um destino sem respostas. Não desistirei afinal... continuarei tentando encontrar a minha marcha lunar.

Charles Tôrres

quarta-feira, 12 de junho de 2013

O CÉU É O LIMITE


É interessante a visão que temos do mundo quando estamos no topo. Não, não estou falando de situação social ou disposição hierárquica. Me refiro ao topo físico mesmo... tetos, terraços, mirantes e elevados andares de um edifício. Aqui em BH nós possuímos uma certa vantagem nesse quesito, pois, além dos inúmeros miradouros que hão na metrópole, proporcionados pela topografia acidentada, a cidade possui uma densidade absurda de prédios altos. Nesses locais, temos uma vista privilegiada dos arredores, a qual nos favorece um macro-panorama do nosso desalinhado e corruptível sistema. Do cume de um edifício avistamos avenidas rasgando a cidade com faixas de rolamento sendo desobedecidas... hippies na porta de uma igreja vendendo badulaques artesanais... um engravatado perdendo o que lhe restou de juízo por conta de uma discussão ao telefone...  um vendedor de chips de uma operadora de celular se cansar de ficar em pé e sentar-se ao meio fio... um velho jogando damas com outro velho e uma multidão saindo de um curso de pré-vestibular, ignorando-os... motoristas fechando o cruzamento e obstruindo a passagem de outros motoristas... um palhaço no sinal pedindo esmolas... um rapaz dividindo um copo de café com a companheira... uma garota de cabelos roxos passeando com seu cão... um homem de chapéu panamá parado em uma esquina observando a rua... um cadeirante levando caixas em uma espécie de reboque acoplado em sua cadeira de rodas... enfim, vemos do topo o que estamos acostumados a ver ao nível da rua. O curioso é que, além de fitar nosso cotidiano, no topo observamos também os topos. Sim, o alto inabitado das nossas colmeias. Conhecemos as ruas, fachadas e interiores, mas não conhecemos os terraços. Ganharíamos espaço se soubéssemos aproveitar nossos terraços com espaços de lazer ao ar livre. No Centro de Belo Horizonte, os edifícios novos fruem a posse de plataformas de heliponto ou terraços inclinados para a acomodação de placas de energia solar. Mas os antigos possuem coberturas vazias! Espaços que poderiam se tornar praças suspensas; largos de desfrute panorâmico. Além das belas vistas, ganharíamos espaço nas ruas e calçadas. Poderíamos ter passarelas suspensas entre as edificações para facilitar os acessos. Tudo à um custo ínfimo, que poderia ser reavido com a exploração comercial desses lugares, com cafés, restaurantes, lanchonetes... comércios que só ajudariam a enriquecer o apelo recreativo dos terraços. Bom, eu sei que é uma visão utópica, vide nossas autoridades engessadas e nada criativas... mas não custa sonhar! Afinal, já é noite e eu estou indo pra cama.

Boa noite à todos!

terça-feira, 11 de junho de 2013

ANDARILHOS URBANOS


Somos curiosos, inquietos, exploradores... somos atrevidos, ousados, descarados... somos travessos, ecléticos, pioneiros... astutos, xeretas, abelhudos... entusiasmados, observadores, repórteres... agitados, românticos, sensíveis... espontâneos, desapegados e habilidosos. Somos café com pão de queijo e boa prosa... perambulamos armados, e três-oitão é para os fracos... caçamos com 50mm no gatilho! Sempre à procura de imagens e sentimentos. Somos andarilhos urbanos, naturais e viajantes. Andamos em bando, andamos sozinhos. Somos da tribo. Somos fotógrafos!

Tenham um ótimo pôr do sol!

--

Um agradecimento especial ao meu querido aluno Vagner Luiz dos Reis, que gentilmente posou para a foto.

segunda-feira, 10 de junho de 2013

AFONSO PENA


A Avenida Afonso Pena é uma das principais vias da Região Central de BH. Seus 5 quilômetros de extensão se estendem de noroeste a sudeste, encontrando-se no trecho grande diversidade e riqueza arquitetônica em estilos de diferentes épocas. Larga, a via possui em alguns trechos mais de dez faixas de rolamento para veículos. A avenida forma um enorme cânion de aço e concreto, graças ao adensamento de edifícios. É uma das vias mais democráticas da metrópole, ligando o coração comercial da urbe, na Praça Sete, ao coração empresarial e financeiro, na Savassi. Calcula-se que mais de um milhão de pessoas passam pela Afonso Pena todos os dias.

Tenham uma ótima noite!

domingo, 9 de junho de 2013

CAPOEIRISTAS


Sintonizadíssima dupla de capoeiristas baianos no Centro de BH. Ambos moram no Espírito Santo e estão na capital mineira ministrando um curso de fim de semana.

Abraços à todos!

sábado, 8 de junho de 2013

SENHORES DA RAUL


Dois simpáticos moradores das ruas do Centro de BH. Cada vez mais escassos, mas ainda significativos. Essa é a realidade dos ditos indigentes, que em outrora eram massa expressiva nas vias de Belo Horizonte e hoje, graças ao fortalecimento econômico, a classe está cada vez mais desprovida de adeptos. Apesar disso, mesmo em países ricos, eles existem, pois nem sempre o fator que move alguém à morar nas vielas citadinas é a falta de recurso financeiro.

Tenham uma ótima noite!  

quinta-feira, 6 de junho de 2013

RUELA DO OESTE


No fundo a Fotografia é subversiva, não quando aterroriza,
perturba ou mesmo estigmatiza, mas quando é pensativa.

Roland Barthes

quarta-feira, 5 de junho de 2013

COTIDIANO


Segunda-feira, 3h da tarde... dia corriqueiro num comboio do metrô da cidade - nem abarrotado, nem despovoado. No rumo ao downtown belo-horizontino, os diálogos dos usuários paralelizam o som ambiente e infiltram-se por entre meus ouvidos conforme o diálogo encefálico de cala. Dentro de um trem metropolitano, ficamos mais dispostos à meditação do ser humano, devido à calmaria do trajeto e ausência de paisagens contempláveis. A solitude apresentada nos preserva a capacidade de questionamento interno, conforme a lucidez litigiosa do cidadão. Em tempos de ausência criativa, sacamos um bom livro para lermos, ou nos contentamos com a companhia musical de nossos players, o que não exclui o debate interior. Todos sentimos remorso e razão. Todos sentimos afeto e aversão. Todos culpamos e pecamos, independente de ideologias, predicados. Esse é o homem e a mulher demasiadamente humanos, criadores de religiões e paganismos. Inventores do dinheiro e da miséria. Produtores de armas e cenouras. Cultivadores de famílias, paridores de órfãos. Esses somos nós, irreverentemente adoradores pelo próprio umbigo. Filósofos de metrôs e filas de banco... até instalarmos o Angry Birds.

Tenham uma ótima noite!

terça-feira, 4 de junho de 2013

THE DARK HEAVEN RISES


Terça-feira, quatro de junho, seis e meia da noite, quinze graus... dia corriqueiro no centro da terceira maior metrópole brasileira. Ouço ruídos, barulhos dos carros, trens, motos e conversas... diálogos de cidadãos cada vez mais constantes, mais cyberligados, mais rápidos e menos observadores. Máquinas de um sistema organicamente automatizado. Acessórios de um aparelho. Peças de um gigante quebra-cabeça. O que queremos nós afinal? Estamos sempre com pressa, mas não sabemos onde ambicionamos chegar. Há ambição além do convencional? Criamos ilusões para nos reconfortar e isso faz com que nos acomodemos e entremos em estado de letargia. Ainda que poucos, grandes são os homens que buscam o paraíso em vida. Temos tudo na mão, nos resta saber explorar essa imensa realidade. Infinitas possibilidades estão ao nosso dispor. Fé na tábua!

Boa noite à todos.

segunda-feira, 3 de junho de 2013

ACAIACA


Símbolo da ousadia arquitetônica mineira da década de 1930. Assim pode ser definido o Edifício Acaiaca, um dos ícones mais conhecidos entre os habitantes de Belo Horizonte. Contando com 30 andares e cerca de 140 metros de altura, o prédio hospeda em seu interior a pura nostalgia, na elegância dos seus velozes elevadores e luxuosas acomodações. Seu nobre estilo art déco é sutilmente interceptado pelas imponentes efígies indígenas de quase 7 metros de altura, as quais vigiam os horizontes da Avenida Afonso Pena há 70 anos. Inaugurado em 1943, o edifício já abrigou milhares de instituições, dentre sedes de empresas públicas e privadas, escritórios, escolas e faculdades. E é nesse edifício, no 1505 andar, que se esconde o mais descolado estúdio fotográfico do Brasil... o Estúdio Metrópole!

Tenham uma excelente noite.

sábado, 1 de junho de 2013

SAVASSI


A Savassi é pura boemia... pura cultura, gastronomia, jazz e bossa nova. Situada na Região Central de BH, a Savassi é o coração cultural da urbe. Seus incontáveis cafés, bares, restaurantes, boates e casas de shows promovem diariamente um espetáculo recreativo que faz a cidade alinhar-se com as grandes metrópoles do planeta, em oferta de entretenimento. É na Savassi que acontece anualmente o maior festival de jazz da América do Sul e a maior festa italiana do mundo, fora da Itália. Além disso, concentra milhares de escritórios de grandes empresas e possui fervilhante comércio de rua durante o dia.

Um ótimo sábado para vocês!

Arquivo do blog