quarta-feira, 5 de junho de 2013

COTIDIANO


Segunda-feira, 3h da tarde... dia corriqueiro num comboio do metrô da cidade - nem abarrotado, nem despovoado. No rumo ao downtown belo-horizontino, os diálogos dos usuários paralelizam o som ambiente e infiltram-se por entre meus ouvidos conforme o diálogo encefálico de cala. Dentro de um trem metropolitano, ficamos mais dispostos à meditação do ser humano, devido à calmaria do trajeto e ausência de paisagens contempláveis. A solitude apresentada nos preserva a capacidade de questionamento interno, conforme a lucidez litigiosa do cidadão. Em tempos de ausência criativa, sacamos um bom livro para lermos, ou nos contentamos com a companhia musical de nossos players, o que não exclui o debate interior. Todos sentimos remorso e razão. Todos sentimos afeto e aversão. Todos culpamos e pecamos, independente de ideologias, predicados. Esse é o homem e a mulher demasiadamente humanos, criadores de religiões e paganismos. Inventores do dinheiro e da miséria. Produtores de armas e cenouras. Cultivadores de famílias, paridores de órfãos. Esses somos nós, irreverentemente adoradores pelo próprio umbigo. Filósofos de metrôs e filas de banco... até instalarmos o Angry Birds.

Tenham uma ótima noite!

2 comentários:

  1. eita , olha a propaganda do Angri Birds kkkkkkkkkkk , muito boa a materia

    ResponderExcluir
  2. Tentando entender como essa foto foi tirada. Com um carro em movimento? Se arriscando na trincheira?

    ResponderExcluir

Arquivo do blog