terça-feira, 19 de maio de 2015

MAMAR NO BAR


Farto da rotina diária, esgotado das regras e oposições do sistema, impugnado da voz do chefe, derreado dos mandamentos que sua filosofia doutrinática lhe impõe, o homem procura no etanol uma dispersão, uma forma de se liberar das exigências no instante em que o líquido o relaxa. Nós somos boêmios por natureza, gostamos de extravasar as ideias e ideais ao saborear o golo. E a medida que chapamos os melões, nos metamorfoseamos e criamos coragem para dizer e fazer, sem nos preocuparmos com a situação imposta naquele momento. Esse é o poder da loira gelada. Droga lícita, sinônimo do exagero, do sobejo, da vontade de exceder o obstáculo, fazer diferente. Bagulho refrescante!

- Charles Tôrres

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog