sábado, 30 de maio de 2015

BARAFUNDA DA PERTURBAÇÃO URBANA III


Sob a ótica da minha fiel Nikon, oriunda das longínquas regiões nipônicas, faço registros urbanos francos e despretensiosos. Me agrado pelo desordenado criterioso, ou seja, aquela bagunça citadina proposital; traços desalinhados que ministram um sistema categórico e funcional. É o tal "certo por linhas tortas", mas eu trocaria o criador pela criatura. Apesar de sintético, eu vejo muita humanidade nisso. Fruto de nossas mãos... de nossos objetivos. Cantiga funcional e visual, apologia ao materialismo dos sonhos, onde, nos escombros naturais, recriamos a poesia criativa. Betão espesso, palpável, tangível, direcionado e eficaz.

- Charles Tôrres

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog