quarta-feira, 24 de outubro de 2012

PERSONAGEM DA SEMANA: O POLIVALENTE DO LESTE



O motorista Itamar Teixeira Filho faz questão de admitir que é apaixonado por sua profissão. O amor pelo ofício vem do berço: ele é a terceira geração de motoristas da família. Seu pai (foto) foi sargento da Polícia Militar e sua principal função era a de condutor. O avô (foto), também integrante da referida corporação, aposentou como subtenente e até chegou a dirigir para o então Prefeito de Belo Horizonte, Juscelino Kubitschek. Multitarefa como seus antepassados, Itamar gosta de tudo um pouco. É guitarrista, tem dotes para mecânica e eletrônica e está sempre buscando novas músicas na internet; mas é o ronco de um motor seis cilindros que lhe afere os mais longos suspiros. Cresceu vendo seu pai bisbilhotando motores de carros e seu primeiro emprego foi em uma oficina mecânica. Já trabalhou como desenhista de peças em uma fábrica de tratores; foi bancário no extinto BEMGE; auxiliar administrativo em um órgão público do município de Contagem; e pasteleiro, abrindo sua própria pastelaria. Mas o destino logo colocou em suas mãos o ofício de motorista, como não poderia deixar de acontecer. Após doze anos dirigindo, e inúmeras experiências com os mais diversos tipos de veículos, hoje Itamar conduz seu caminhão, um Volkswagen 15-180, a serviço SUDECAP - Superintendência de Desenvolvimento da Capital, órgão da prefeitura de Belo Horizonte responsável pelas obras de melhoria e requalificação da infraestrutura viária da cidade. Ele trabalha em uma subseção do mencionado órgão, cuja atuação se restringe à Zona Leste de BH, fazendo o traslado de materiais e encarregados entre uma determinada obra e a sede, que se acomoda no bairro Pompéia. Apesar do entusiasmo com a profissão, Itamar conta que há situações embaraçosas que torna sua rotina um desafio. A principal delas é o difícil acesso à aglomerados, as quais possuem ruas delgadas e terreno acidentado - embora ele aprecie os guetos. "Gosto de favelas, nasci em uma. Lá encontramos um povo simples, carismático, unido", relata. Itamar nasceu em uma pequena colônia de italianos, cuja única rua de acesso recebeu o nome do seu avô materno, Américo Turci. Um dos fatos mais marcantes em seus doze anos de profissão foi um período o qual sua equipe de trabalho estava fazendo uma obra de requalificação de um passeio em uma praça do bairro Santa Tereza. Ele conta que o dono da Parada do Cardoso, uma das mais conhecidas pizzarias da cidade, em um ato nobre, ofereceu pizzas e refrigerantes por conta da casa, a vontade, à todos os encarregados, durante o tempo em que trabalharam na região. "Em alguns lugares a vizinhança não é capaz de nos oferecer um copo d'água sequer". Embora os contratempos, comuns em qualquer labuta, Itamar não tem intenção de largar a profissão. "Para ser motorista, temos que gostar, temos que ter isso na veia", conta, orgulhoso.

por Charles Tôrres

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog