segunda-feira, 17 de setembro de 2012

ELEVADO



A cidade grande é puro concreto
Tudo aqui é concreto menos o sonho
O sonho é um dôce na padaria
O concreto é a selva do bicho homem

Uma criança suja com o nariz sujo
Suja o vidro da vitrine da loja
Roubar é errado mas tudo é caro
O bife é de carne, a vida é de soja

A cidade grande e duro concreto
Um deserto no meio do coração
E a sociedade que se diz humana
Não sabe o que é amor nem compaixão

O ar é pesado, desce o vidro do carro
O bandido armado dita a lei do mais forte
A flor solitária nascida a beira do asfalto
Se banha no sangue de mais uma morte

O homem procria indiferente
Ao discurso demagogo da autoridade
enquanto a cidade condena inocentes
Os culpados gozam se sua liberdade

A cidade grande é um torre de babel
E é onde filho chora e a mãe não vê
O veneno está em lábios doces como mel
E o fel nos de quem luta pra sobreviver...

Glauco Letto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog