domingo, 22 de junho de 2014

INTERMINÁVEIS HORIZONTES


"Belo horizonte de contrastes e lendas, ruas e ramalhetes, barracos pequenos e palacetes. Requinte nostálgico em Santa Tereza, viaduto literário, pura beleza. Beatas no Lourdes, boêmios nas praças, clubes nas esquinas. Buzinas gritando impropérios, jaqueiras silenciosas no parque. Belo Horizonte que canta e dança em palácio sem rei. Velhos nos bancos antigos, jovens tropeçando em pedras largadas no meio do caminho. Afinal, em Belo Horizonte temos todos um encontro marcado."

Texto de Maurílio Ribeiro da Silva, vencedor do Concurso Cultural: Belo Horizonte em Poesia.

Um comentário:

  1. Bom dia!

    Eu só vi agora que fui o vencedor do concurso, me desculpe. Nesse período eu estava envolvido com um mestrado na PUC e estava quase pirando. Obrigado aos nobres juízes, sinto-me lisonjeado! Valeu mesmo!

    ResponderExcluir

Arquivo do blog