quinta-feira, 19 de novembro de 2015

METRÓPOLES NOTURNAS


Um rolé pela colmeia com mais de um milhão de esquinas. Ousadia na chuva que cai no Baixo Centro underground da urbe pujante. Vejo rostos marcados, bueiros quebrados, odores azedos. Vejo gente real, desembrulhada, sem disfarce. O enquadramento estruturado faz do clique uma grande aventura. Composição que dialoga no íntimo do fotógrafo. Cenas as quais nos fazem mergulhar no instante e quase nos esquecermos da câmera fotográfica. Temos que tomar cuidado, pois abre-se o sinal e lá se vai o frame. Passeio fotográfico vivo, interessante e instigante. Uma hora depois, convicto, volto ao meu escritório com um certeiro pensamento: A cidade é uma fonte inesgotável de expressão humana.

- Charles Tôrres

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog