sexta-feira, 6 de março de 2015

LUZ NA PRATA


E esse negócio de fotografia analógica segue me inspirando cada vez mais. As possibilidades são infinitas, e o fato de não podermos ver a fotografia de forma instantânea (por ser revelada apenas depois que acabarem as 36 poses do filme), faz com que tenhamos ainda mais cuidado ao disparar. A ansiedade vale a pena, e no fim, o filme revelado só nos faz gozar as boas lembranças que cada chapa nos proporciona.

- Charles Tôrres

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog