domingo, 18 de maio de 2014

BARAFUNDA CITADINA


Sob a ótica da minha fiel Nikon FE, fabricada em 1978 e de origens nipônicas, faço registros urbanos francos e despretensiosos. Me agrado pelo desordenado criterioso, ou seja, aquela bagunça citadina proposital; traços desalinhados que ministram um sistema categórico e funcional. É o tal "certo por linhas tortas", mas eu trocaria o criador pela criatura. Apesar de sintético, eu vejo muita humanidade nisso. Fruto de nossas mãos... de nossos objetivos. Cantiga funcional e visual, apologia ao materialismo dos sonhos, onde, nos escombros naturais, recriamos a poesia criativa. Betão espesso, palpável, tangível, direcionado e eficaz.

Boa noite a todos!

Um comentário:

  1. Fotos lindas, cada vez mais de bom gosto e sensibilidade, vendo esta foto me emociono bem como este site maravilhoso com estas fotos lindíssimas de BH, terra de minha mãe, mãe querida e inesquecível que faleceu este mês, dia 10-5 e enterro no dia das mães 11-05, ainda estou muito abalado com tudo, não está fácil. E vendo estas fotos aqui da terra natal de minha mãe me emociono mais ainda. Sou de Brasília.

    ResponderExcluir

Arquivo do blog