terça-feira, 22 de novembro de 2016

O QUE BELO HORIZONTE QUER SER QUANDO CRESCER?


BH passa por um momento de reflexão e instabilidade sem precedentes em sua história. Afetada gravemente pelo péssimo momento político na região e em todo o país, a cidade sofre com um futuro incerto.

A terceira maior região metropolitana do Brasil ocupa uma posição de status apenas intermediário no país. Não é uma metrópole global, como o Rio ou São Paulo. Mas também não é só mais uma grande cidade regional, como Recife, Salvador, Porto Alegre ou Curitiba. Ela está ali no meio, isolada, ocupando um espaço solitário entre as duas maiores e as demais menores, num posicionamento pouco favorável para seu crescimento exponencial. Não é 8 nem 80. Brasília passa por algo semelhante, já que, como capital federal, exerce influencia política sobre todas as cidades do país, mas nas demais esferas de influência não passa de uma grande cidade regional.

Mas BH não. Ela exerce mais influência direta (não administrativa) sobre o Brasil que qualquer outra cidade fora do eixo. Influência na música, na moda, na economia, na cultura... e até mesmo na política, já que na última eleição para presidente os principais candidatos eram de Belo Horizonte. Mas a cidade não vai muito além disso. Estive recentemente no Japão e por lá ninguém conhece nossa querida BH. Aliás, a cidade não consegue se destacar nem na América Latina! Conheci um argentino em Tóquio que não sabia sobre a existência nem de Minas Gerais. Mas conhecia o Cruzeiro e o Galo...

Além disso, em função da proximidade, a cidade do Rio de Janeiro e de São Paulo ofuscam o brilho de BH. Não é como Manaus, que reina sozinha no coração da Amazônia.

Mas isso não significa que temos que nos contentar com nosso posicionamento. E não estou falando sobre crescimento populacional. Me refiro ao desenvolvimento da cidade como metrópole global, pois temos todos os predicados para isso acontecer! Temos um dos maiores potenciais turísticos do país, um dos maiores complexos arquitetônicos, temos o maior museu a céu aberto do mundo, as melhores cervejarias artesanais e ainda somos vizinhos da encantadora Ouro Preto, cidade cujo charme coloca no chinelo a maioria das cidades europeias.

Precisamos parar de ficar querendo que o governo resolva as coisas, parar de choramingar por esmola. Já sabemos que a gestão pública é burra e ineficiente. Portanto, precisamos arregaçar as mangas e fazer a cidade crescer na raça!

Somos quase 6 milhões de habitantes, somos maiores que Berlim, Atlanta, Barcelona ou Singapura, e do mesmo tamanho que Washington, Frankfurt e Miami. Temos cabeças para pensar e competência para progredir.

O que BH quer ser quando crescer? Uma metrópole global ou apenas uma grande cidade regional?

E você? O que quer ser quando crescer?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog