sábado, 15 de agosto de 2015

TODOS OS DIAS


Almejada por muitos, alcançada por poucos, a felicidade é uma dádiva da vida, atrevidamente representada pelo bem estar franco e despretensioso. Costumamos ficar alegres momentaneamente por situações ápices em nossas vidas, como a compra de um bem novo, o aumento de salário ou o sabor de um brigadeiro. Mas a felicidade não é um verbo efêmero. Ser feliz envolve um sentimento de difícil compreensão, já que os que não são felizes estão sempre em busca da alegria material. Ou acham que a felicidade está no outro, o que é pior, já que comprar algo para saciar as tristezas é fácil; difícil é encontrar uma pessoa compatível para se relacionar e buscar a felicidade nela. Tristes são as pessoas que pregam felicidade nas músicas que escutam, nos falsos sorrisos, nas atitudes mesquinhas, mas não sabem apreciar a doçura de um alvorecer ou a singeleza dos animais. Tristes são as pessoas que não sabem acordar de bem com a vida e não conseguem sentir prazer nem no doce sabor do café da manhã. O fato é que a felicidade não envolve bens, salários, doces ou pessoas. A felicidade nada mais é do que o simples prazer em estar vivo. Ser feliz é desfrutar o hoje, independente do que pode vir a acontecer amanhã. Ser feliz é ver beleza até nos mais simples acontecimentos da vida, sem se preocupar com vicissitudes cotidianas. Ser feliz é ter um enorme apreço pelo presente. Ser feliz é amar o seu trabalho e gostar mais da trajetória do que dos resultados. Ser feliz é se apaixonar todos os dias pela mesma pessoa e construir um castelo ao lado dela, sem despejar suas frustrações como se ela fosse a resolução dos seus problemas. Ser feliz é acreditar que o paraíso é o próprio meio ambiente em que vivemos, que o céu que tanto almejamos nós já alcançamos, e se chama Planeta Terra.

- Charles Tôrres

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog