quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

NUVENS


E seguem as loucas, cada vez mais loucas, os inquilinas dos céus, escravas da atmosfera. As residentes do topo, donas do paraíso, casa do dito criador, que usam as serras como colchão e o azul como lençol. Elas dissipam-se no íntimo fitar dos ventos e as vezes irritam-se, chorando lágrimas densas sobre Belo Horizonte.

- Charles Tôrres

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog