segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

ÁGUA DOS CÉUS


Metrópole de alma lavada, solo molhado, ar úmido e flora entusiasmada. Os céus desaguaram vagarosamente sobre a tez belo-horizontina na última semana, acalantando as quentes brisas que molestavam nossa paz. Nunca desejamos tanto as bátegas carregadas, os cumulus nimbus subexpostos. Viva a água que cai, nossa maior fonte de vida.

- Charles Tôrres

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog